O Google for Startups completa cinco anos de atuação no Brasil em 2021. Para comemorar a data, lançou um relatório de impacto, elaborado em parceria com o instituto de pesquisas Kantar, que apresenta a evolução, as oportunidades, os desafios e os resultados de startups de alguns dos principais setores da economia brasileira no período.

Desde 2016, mais de 250 startups participaram dos programas de longa duração do Google for Startups, desenvolvendo seus negócios, otimizando ferramentas técnicas e compartilhando experiências com outros empreendedores. Também foram realizados mais de 1.500 eventos, presenciais e virtuais, nos quais mais de 30 mil pessoas foram capacitadas. Ao longo desse período, as startups que passaram pelos programas da iniciativa levantaram cerca de 35 bilhões de reais em investimentos e, ao todo, geraram mais de 15 mil empregos. 

“Os resultados e depoimentos apresentados neste relatório nos permitem visualizar de forma mais concreta o quanto contribuímos para que as startups chegassem ao nível de capacitação técnica que têm atualmente e o quanto fomos fundamentais nessa jornada. Ficamos orgulhosos ao ver o impacto das nossas ações nas empresas que passaram pelos nossos programas. Saber que 95% delas avaliam o Google for Startups de forma positiva e, melhor ainda, que 100% acreditam que somos uma iniciativa que promove a diversidade e inclusão é muito gratificante ”, diz André Barrence, Diretor do Google for Startups para América Latina.

O perfil das startups e o impacto gerado por elas

De acordo com dados da Associação Brasileira de Startups, o Brasil tem hoje mais de 13 mil startups, distribuídas por mais de 692 cidades do país. A maturidade da comunidade brasileira pode ser percebida pela existência de unicórnios – empresas que foram avaliadas em pelo menos um bilhão de dólares. Em 2016, não existia nenhum unicórnio no país, e hoje são 15. O número fica atrás apenas dos Estados Unidos e da China, e já ultrapassou a marca de ecossistemas de empreendedorismo consolidados, como os da Alemanha, Inglaterra e Israel. 

Das mais de 250 startups que já participaram de programas de longa duração do Google for Startups, cinco são unicórnios: Creditas, Loft, Loggi, Nubank e QuintoAndar. Além disso, 27 dessas startups realizaram exits, ou seja, processos de venda ou saída de investimento.

Segundo o Brazil Digital Report 2019, da McKinsey, 69% das startups no país faturam menos de 50 mil reais por ano. A realidade das empresas que passaram pelo Google for Startups é diferente: 50% delas faturam, por mês, mais do que a média anual das startups brasileiras, sendo que 14% chegam a mais de 1 milhão de reais mensais.

Mais diversidade

Além de ajudar startups a evoluírem seus negócios, o Google for Startups também estimula mudanças sociais, seja no aumento da oferta de empregos pelas empresas ou na busca por uma maior diversidade dentro do ecossistema. Em 2020, por exemplo, foi lançado o Black Founders Fund, que investe recursos financeiros, sem qualquer contrapartida ou participação societária, em startups fundadas e lideradas por empreendedores negros e negras no Brasil. 

Ainda, 100% das startups que já passaram pelos programas do Google for Startups concordam que a iniciativa promove a diversidade e inclusão, o que se reflete nos dados de diversidade das próprias startups da nossa rede:

– 88% das startups contam com mulheres em posições de liderança.

– 58% das startups contam com pessoas negras em posições de liderança.

– 53% das startups contam com pessoas da comunidade LGBTQIA+ em posições de liderança.

Os desafios do futuro

“Oportunidades não faltam para a continuidade do desenvolvimento do ecossistema empreendedor brasileiro. Mas existem, claro, desafios, como a dificuldade em encontrar talentos para posições técnicas e o ambiente regulatório, que ainda que tenha registrado avanços recentes, com o Marco Legal das startups, precisa de mais resoluções para garantir maior competitividade para as empresas nacionais. Também há ainda muito espaço para crescer a presença de fundos de investimento no país, permitindo que as startups continuem a usar tecnologia e inovação para resolver problemas e melhorar a vida das pessoas”, completa André Barrence.

Abaixo, os principais destaques do material

  • +250 startups participaram de programas de longa duração do Google for Startups.
  • + 35 bilhões de reais foram levantados em investimentos por essas startups.
  • + 15 mil empregos gerados por essas startups.
  • 5 startups da rede do Google for Startups são unicórnios: Creditas, Loft, Loggi, Nubank e QuintoAndar.
  • 50% das startups da rede do Google for Startups faturam, por mês, mais do que a média anual das startups brasileiras, sendo que 14% faturam mais de 1 milhão de reais por mês.
  • 108% é a taxa de crescimento ano a ano de investimento levantado junto a fundos de capital de risco pelas startups da rede do Google for Startups. A média nacional é um aumento de cerca de 64% a cada ano, segundo dados da LAVCA, Associação Latino-Americana de Private Equity & Venture Capital.
  • R$ 4,5 milhões é o investimento médio levantado pelas startups da rede do Google for Startups em 2020. Esse valor é 86% superior ao investimento levantado por elas no primeiro ano de atuação do Google for Startups no Brasil.

Foto de destaque/ Crédito: Divulgação.