Fechamos o ano de 2020 com uma série de investimentos em startups. Confira a lista abaixo:

Startup Valor Investidor Saiba mais!
The CoffeeR$28 milhõesNorte Ventures e Shift CapitalSaiba mais!
C6 BankR$1,3 bilhão40 investidores privadosSaiba mais!
NelogicaR$550 milhõesCrescera e Vulcan CapitalSaiba mais!
Home AgentNão informadoBR Angels Smart NetworkSaiba mais!
TrocafoneR$30 milhõesBarn Investimentos, Bulb Capital e WayraSaiba mais!
Gavea MarketplaceR$2,2 milhõesDOMO InvestSaiba mais!
SeeTree US$30 milhõesIFC – International Finance CorporationSaiba mais!
Decoy Smart ControlR$810 milFapespSaiba mais!
ByouR$120 milCelso Oliveira e Caio BulgarelliSaiba mais!
DoladoUS$2,2 milhõesValor Capital GroupSaiba mais!
ConductorUS$20 milhõesTemasekSaiba mais!
CaroáNão informado SITAWI Saiba mais!
YouGreen
Não informado SITAWI Saiba mais!
Maranha
Não informado SITAWI Saiba mais!
Sintecsys
Não informado SITAWI Saiba mais!
BitsoUS$62 milhões Kaszek Ventures e QED InvestorsSaiba mais!
SelinaUS$50 milhõesIDB Invest,Saiba mais!
ISGAME (International School of Game)R$150 mil Neo AceleraSaiba mais!
Circular BrainR$650 milNão informado Saiba mais!
Conta Simples US$2,5 milhões QuartzSaiba mais!
Floki Technologies R$3,6 milhõesIporanga VenturesSaiba mais!
VUXXR$2,5 milhõesBR Angels Smart NetworkSaiba mais!
PaketáR$9 milhõesShift CapitalSaiba mais!
CreditasUS$255 milhõesLGT Lightstone, Tarsadia Capital, Wellington Management, e.ventures e Advent InternationalSaiba mais!
NomadR$30 milhõesMonasheesSaiba mais!

*Investimentos no Brasil: R$ 1.956.380.000,00/ Investimentos internacionais: US$421.700.000,00. Estes valores são referências de aportes anunciados durante o mês, podendo não representar a totalidade de investimentos, dentro e fora do país, no período.

Unicórnios

Após investimento de R$ 1,3 bilhão, que contou com mais de 40 investidores privados, o C6Bank agora está avaliado em R$ 11,3 bilhões e com isso, ganhou o título de novo unicórnio brasileiro.

E não para por aí, a Creditas, que também recebeu um aporte de US$255 milhões foi avaliada em US$ 1,75 bilhão em dezembro. O investimento contou com a participação do LGT Lightstone, Tarsadia Capital, Wellington Management, e.ventures e Advent International. Adicionalmente, os acionistas atuais SoftBank Vision Fund 1, SoftBank Latin America Fund, VEF, Kaszek Ventures e Amadeus Capital Partners também participaram do investimento.

Novos investimentos

A unidade brasileira da empresa britânica de inovação corporativa The Bakery e a companhia de investimentos Prana Capital fecharam uma parceria para montar uma joint venture que irá alocar recursos em ativos estratégicos do ecossistema de inovação e empreendedorismo e oferecer uma carteira diferenciada para investidores tradicionais, Family Offices e corporativos.

As duas empresas estão lançando um fundo para captação de US$ 5 milhões (em torno de R$ 25 milhões) destinados, de um lado, ao crescimento de startups brasileiras que atuem no B2B e, de outro, à atração de startups estrangeiras com potencial de negócios no Brasil.

Além disso, a Invisto, empresa de venture capital com atuação no do sul do Brasil e a Acate (Associação Catarinense de Tecnologia) trabalharão juntas em um fundo de R$ 100 milhões.

Segundo Marcelo Wolowski, CEO da Invisto e diretor do Grupo Temático de Investimentos da Acate, o objetivo do fundo é universalizar o acesso a investimentos de venture capital, auxiliando no desenvolvimento das empresas da região, além de atrair novos investidores, parceiros locais e internacionais, em oportunidades de fusões e aquisições.

Oportunidade

A Rise Ventures, gestora de investimentos voltada para empresas da economia real que geram impacto socioambiental positivo, está em busca de novas investidas para agregar ao seu portfólio em 2021. As interessadas devem ser empresas early growth (porte de entrada entre R$ 10-50 milhões de receita/ano) de economia real, com consumo recorrente e essencial e, sobretudo, que ofereçam impacto socioambiental positivo.

O foco serão três áreas prioritárias: meio ambiente (produtos e serviços relacionados à regeneração e preservação do meio ambiente e recursos naturais, em setores como energia limpa, economia circular, saneamento, gestão de resíduos, mobilidade sustentável, construção sustentável e eficiência do uso de recursos naturais); social (se refere a produtos e serviços essenciais relacionados à inclusão social, como educação, saúde, crédito, moradia, energia, conectividade, ocupação profissional e eficiência da gestão pública) e bem-estar (autocuidado, alimentação saudável, saúde preventiva e integrativa, saúde do corpo e educação psico/socioemocional). Empreendedores interessados encontram mais detalhes aqui.


Mensalmente vamos atualizar a lista com novos investimentos. Quer contribuir com mais informações? Envie para contato@startupi.com.br.