A Rise Ventures, gestora de investimentos voltada para empresas da economia real que geram impacto socioambiental positivo, está em busca de novas investidas para agregar ao seu portfólio em 2020 e 2021. As interessadas devem ser empresas early growth (porte de entrada entre R$ 10-50 milhões de receita/ano) de economia real, com consumo recorrente e essencial e, sobretudo, que ofereçam impacto socioambiental positivo.

Atualmente, a Rise tem três empresas em seu portfólio: Beleaf, do setor de alimentação à base de plantas; Alba Energia, que trabalha com energia solar; e Okena, que atua na gestão de resíduos industriais. Somadas, a receita das três saltou de R$ 15,5 milhões para uma estimativa de R$ 40 milhões em 2020.

As empresas que estão no portfólio da Rise contam com uma equipe qualificada e alocada em seus escritórios, que fica responsável por aplicar a metodologia própria da gestora, visando a geração de valor por meio da montagem do plano de negócios e roadmap estratégico e estruturação de áreas e processos internos. Uma área de serviços compartilhados com parceiros estratégicos essenciais e complementares ajuda as empresas na jornada de crescimento para acessar investimentos maiores. Destaque também para a equipe de gestão de pessoas, que atua diretamente no recrutamento e montagem de time das investidas. Além de contar com todos esses pontos, as empresas escolhidas para entrarem no portfólio receberão uma primeira rodada de investimentos com possíveis outros aportes, de acordo com a sua necessidade, enquanto estiverem no pipeline da Rise – um período de no máximo dez anos. Ainda de acordo com a empresa, os investimentos nas empresas do portfólio correspondem à tickets de série A.

Pedro Vilela. Foto: Gabriela Colicigno

“Nosso principal diferencial é que coempreendemos junto com as empresas, atuando em duas frentes muito importantes nesse estágio em que elas se encontram: acesso a capital e gestão de pessoas, atraindo, treinando e retendo talentos. Negócios early growth possuem uma dificuldade bem maior de ter acesso a investimentos. Somos uma gestora pioneira nesse mercado e acreditamos que existe um mundo de oportunidades nessa fatia, que já é uma tendência lá fora, mas no Brasil ainda não é muito explorada”, explica Pedro Vilela, CEO da Rise Ventures.

Incentivando os futuros empreendedores, Pedro Vilela acredita que todos os negócios de impacto têm um alto potencial para crescer e se desenvolver no Brasil. “O Brasil é Vale do Silício do impacto, mas acredito que setores dentro da vertical de natureza, muito ligados às questões das mudanças climáticas, têm atraído os olhares dos investidores, inclusive internacionais, e podem ser uma aposta interessante para esse próximo ano”, analisa o CEO.

Mesmo com essa observação, a Rise busca empresas para as suas três áreas prioritárias: meio ambiente (produtos e serviços relacionados à regeneração e preservação do meio ambiente e recursos naturais, em setores como energia limpa, economia circular, saneamento, gestão de resíduos, mobilidade sustentável, construção sustentável e eficiência do uso de recursos naturais); social (se refere a produtos e serviços essenciais relacionados à inclusão social, como educação, saúde, crédito, moradia, energia, conectividade, ocupação profissional e eficiência da gestão pública) e bem-estar (autocuidado, alimentação saudável, saúde preventiva e integrativa, saúde do corpo e educação psico/socioemocional). Empreendedores interessados devem entrar em contato pelo e-mail pipeline@riseventures.com.br ou pelo formulário no site da Rise.