A Payface, startup de reconhecimento facial para pagamentos, recebeu investimento em rodada série A liderada por fundo de investimento gerido pelo banco BTG Pactual, que também teve participação do multifamily office Oikos. O investimento aconteceu em forma de equity na holding internacional, em caráter minoritário, e não teve seu valor divulgado. Recentemente, a fintech foi anunciada como a única participante latino-americana nos programas globais de uma das principais administradoras de cartões.

Com o aporte, a Payface planeja investir no aumento do time, acelerar a oferta da solução e escalar suas operações em varejistas, inicialmente, de grande porte. Em paralelo, também foi acordado que a fintech passe a oferecer sua tecnologia aos clientes BTG Pactual. “Estamos muito felizes com mais esse passo na evolução do negócio. Tendo o BTG como parceiro estratégico, será possível acessarmos novos clientes, expandindo nossa atuação para diferentes regiões do Brasil, além de continuarmos a evolução tecnológica da nossa solução”, conta Eládio Isoppo, CEO e cofundador da fintech.

A Payface desenvolve tecnologia de reconhecimento facial própria e tem como objetivo melhorar a experiência de compra em diversos setores do varejo físico, como supermercados e farmácias. Além do capital primário, o banco irá atuar estrategicamente no processo de expansão da solução, contribuindo para o crescimento na base de usuários e explorando sinergias na construção de novas ofertas.

“O investimento minoritário em conjunto com o acordo operacional corrobora nossa estratégia de prover a melhor infraestrutura financeira para os nossos clientes, além de impulsionar o ecossistema de startups do Brasil. Estamos muito animados com o potencial do time e da tecnologia proprietária para a construção de novos produtos em um universo tão dinâmico como o de meios de pagamento”, explica Marcos Xavier, sócio do BTG Pactual, responsável pelo Banking as a Service.

Fundada em 2018, a startup oferece a tecnologia de biometria facial conectando-se com todo o ecossistema de meios de pagamento — de cartões de crédito, private labels (cartões de varejistas), wallets (carteiras virtuais), adquirentes e subadquirentes. Sem que o usuário necessite utilizar um dispositivo ou o próprio cartão, a solução permite ao varejista diminuir filas, além de agilizar e melhorar a experiência do consumidor no momento de identificação e pagamento no caixa.