Boa Vista, empresa que aplica inteligência analítica na transformação de informações para a tomada de decisões em concessão de crédito e negócios em geral, acaba de divulgar a aquisição da Acordo Certo, especializada em ofertar no ambiente online negociações de dívidas entre empresas e consumidores. A operação representa a aquisição de 100% do capital da Acordo Certo. Os valores não foram divulgados.

Segundo Dirceu Gardel, CEO da Boa Vista, “essa aquisição nos proporcionará um complemento importante das nossas ofertas de negociação de dívidas vencidas, seja do lado do credor, conjugadas com as demais soluções de recuperação já ofertadas pela Boa Vista, seja do lado do consumidor, que encontrará maior facilidade e simplicidade para quitar seus débitos e aproveitar as oportunidades na obtenção de crédito para a realização de seus sonhos e necessidades”. 

A Acordo Certo é uma empresa digital focada em levar aos consumidores condições de renegociação de dívidas de forma rápida e online. Com mais de 13 milhões de clientes cadastrados, a empresa apresenta mais de 440 mil acordos de dívidas fechados por mês. 

A abordagem humanizada e a capacidade de ajudar consumidores a recuperar seu bem estar financeiro, alavancada por tecnologia e Inteligência Artificial para oferecer propostas de forma assertiva, colocam a Acordo Certo em posição de destaque no mercado de renegociação de crédito. A sua aquisição está alinhada à estratégia da Boa Vista de ampliar sua oferta de serviços aos consumidores. 

“Pensando em facilitar a vida dos brasileiros que estão com alguma pendência financeira e atuando como uma conciliadora entre empresas e os consumidores, a Acordo Certo inovou a maneira de renegociar dívidas de forma online e segura. Nesse momento em que os desafios da economia exigem que sejam ampliadas as ofertas para facilitar a vida dos consumidores, a junção das operações com a Boa Vista alavanca e diversifica ainda mais essas ofertas e combina empresas de valores e propósitos em sintonia a serviço do consumidor”, avalia Dilson Moura de Sá, CEO da Acordo Certo. 

Nesta fase inicial, as empresas manterão suas operações ainda apartadas, porém com ofertas integradas. A intenção é levar os benefícios desta junção mais rapidamente a empresas – para que melhorem seus resultados financeiros – e consumidores que buscam positivar o nome, para que voltem à economia e tenham novamente acesso a crédito.