A Afya Educacional anunciou a compra da MedPhone, aplicativo de suporte à tomada de decisões clínicas, em uma operação de R$ 6,4 milhões. Esta é a terceira aquisição da empresa neste semestre somando-se à PEBMED, anunciada em agosto, e da iClinic em outubro.

Fundada pelo nefrologista Ricardo Maranhão e pelo desenvolvedor de aplicativos Haroldo Goldim, a MedPhone é um app “beira de leito”, com mais de 58 mil usuários ativos mensais. O app tem esta definição porque oferece suporte ao profissional de saúde no atendimento ao paciente de várias formas: seja dando acesso a mais de 8 mil bulas de remédios, calculando as diluições necessárias para as medicações prescritas ou informando os preços dos remédios praticados em todos os estados do país. Na App Store, a MedPhone tem nota 4,9 em uma escala até 5, consideradas 9,1 mil classificações. Maranhão e Goldim, agora se juntam ao time da Afya, assim como os fundadores da PEBMED e da iClinic.

“Nossa empresa é vocacionada para cuidar e dar suporte a toda a jornada do médico, desde a graduação até a última especialização. A chegada de healthtechs ao grupo Afya já está desenhada há mais de um ano e reforça ainda mais essa vocação. Estamos muito atentos a este setor, que organiza e agiliza a rotina do médico. E com tudo o que vimos durante a pandemia, com profissionais de saúde sobrecarregados e diante de desafios inéditos, estas startups ganham ainda mais relevância, dando mais agilidade e eficiência para que o médico possa se concentrar na sua atividade, junto aos pacientes”, explica Virgilio Gibbon, CEO da Afya.

Expansão também na graduação médica

Esta é a 9ª transação realizada pela Afya desde a abertura de capital na bolsa americana Nasdaq, em julho de 2019, sendo três healthechs e seis instituições de ensino com curso de Medicina. Após o fechamento das operações, a Afya passa a 2.303 vagas anuais de Medicina. “Em julho do ano passado, informamos ao mercado que faríamos um incremento de 1 mil vagas até 2022. De lá para cá passamos de 1.452 para 2.303 vagas, ou seja, são 851 novas vagas. O objetivo é manter este ritmo de expansão, trazendo instituições de ensino de alto nível acadêmico e vocação para a Medicina. Em 2026, com os cursos já amadurecidos, devemos chegar a uma base de 16.580 alunos de Medicina”, afirma Virgílio Gibbon.

Outro motivo de celebração foi o início das aulas da 1ª faculdade de Medicina do grupo aberta por meio do último edital do Programa Mais Médicos, do governo federal, de 2018. A Afya conquistou o direito de abrir 7 faculdades de Medicina no Norte e Nordeste, e o campus de Santa Inês, no Maranhão, foi o primeiro a começar a operar, com 50 alunos matriculados. Com isso, a oferta de cursos de graduação em Medicina da Afya chega a 10 estados: Minas Gerais, Tocantins, Paraná, Piauí, Bahia, Pará, Rondônia, Rio de Janeiro, Paraíba e Maranhão.

Já na pós-graduação médica, a Afya está presente em 10 capitais: Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador, Brasília, Belo Horizonte, Vitória, Manaus, Recife, Fortaleza e Goiânia. E em 2021 a Educação Continuada da Afya, por meio de sua marca IPEMED, chegará também ao Sul do país, inicialmente em Porto Alegre.