A corretora americana Avenue Securities, fundada por Roberto Lee, anunciou esta semana a segunda rodada de captação entre os atuais sócios da empresa. Com o investimento, de cerca de R$ 35 milhões, a empresa vai aumentar o leque de serviços americanos e estruturar a operação da corretora no Brasil, onde estão concentrados seus 175 mil clientes que hoje investem US$ 450 milhões em ativos no exterior. O novo aporte elevou o valuation do grupo para cerca de R$ 500 milhões.

A Avenue foi fundada em 2018 como uma corretora para brasileiros acessarem o mercado de investimentos dos Estados Unidos. Nos últimos meses, para tornar mais robusta a infraestrutura da empresa no Brasil, os sócios também adquiriram as licenças de funcionamento da Coin DTVM e da Bexs corretora de câmbio.

“Cada vez mais, o investimento no exterior está virando uma realidade entre os brasileiros. A Avenue surgiu para facilitar esse fluxo, mas entregando para o cliente uma experiência completa e acessível. O nosso volume de abertura de contas, que tem registrado uma média de 5 mil novos cadastros por semana, é um indicativo de que após o movimento de desbancarização vividos nos últimos anos, acessar o mercado externo é a próxima grande tendência da indústria de investimentos”, explica Roberto Lee, CEO da corretora.

Com o aumento da operação da Avenue Secutiries no Brasil, Carlos Ambrósio, sócio da corretora e atual presidente da Anbima, assumiu a liderança da empresa no País. Além dele, o grupo conta com a participação societária da Vectis Partners, de Paulo Lemann, Patrick O’Grady e Alexandre Aoude; de Christian Klotz, da Brasil Capital, e também Marco Kheirallah (ex-Pactual).

Internacionalização de investimentos

Focado no mercado latino, a plataforma possibilita que os usuários desses países comprem desde ações de grandes companhias (como Apple, Amazon e Google) até títulos de renda fixa dos EUA.

Para Lee, a plataforma nasceu da crença de que a internacionalização dos investimentos é o passo seguinte ao movimento de “desbancarização” vivido nos últimos anos no Brasil e há décadas nos Estados Unidos.

“O mercado já está maduro, os investidores brasileiros e internacionais já investem fora dos bancos.”, afirma o CEO, que antes da abertura da Avenue foi sócio da XP e fundou as corretoras Clear e WinTrade, duas plataformas que ajudaram a modernizar o mercado de investimentos no Brasil.