A Fligoo, startup de análise avançada de dados, com sede em São Francisco, no Vale do Silício, e clientes como Coca-Cola, Itaú, Walmart e B2W, anunciou um aporte de R$ 40 milhões, liderado por family offices americanas e brasileiras. O investimento será dedicado ao crescimento das operações da empresa, tendo o Brasil como um dos principais focos.

A Fligoo usa Inteligência Artificial, Big Data e Machine Learning para fornecer informações preditivas sobre o comportamento do consumidor e otimizar estratégias de negócio. Grandes empresas de mercados como o financeiro, de bens de consumo, varejo, educação e telecom confiam na Fligoo e seus mais de 4 mil algoritmos proprietários para tirarem proveito do recurso mais valioso do nosso tempo: os dados.

“Diferentemente de muitas startups, temos uma operação que apesar do nosso crescimento acelerado gera caixa. Na Fligoo não acreditamos no modelo de encher o cofre de dinheiro de venture capitalists para logo ser refém dos seus ‘terms’. Preferimos crescer o nosso business global a passos naturais e por meio do nosso network”, afirma Carlos Naupari, CEO da Fligoo no Brasil. A operação local da startup cresceu 400% na pandemia. “Depois dos Estados Unidos, em que já temos toda a operação rodando, o Brasil é o país mais importante para nós no momento e é aqui que está o maior potencial para nos tornamos o próximo unicórnio”.

A Fligoo nasceu em 2013, logo depois de um dos fundadores usar o seu conhecimento em computação para fazer um experimento diferente: analisar o comportamento online da mãe da sua então namorada. O objetivo? Descobrir o presente de Natal ideal. O perfume escolhido caiu em cheio no gosto da sogra que se tornou uma das principais apoiadoras do casamento que aconteceria anos depois.

O episódio foi o embrião da Fligoo que ao longo dos anos evoluiu de um mecanismo capaz de indicar os melhores presentes a amigos e familiares para um framework proprietário de 4 mil algoritmos, desenvolvido com engenheiros do MIT, que ajuda grandes empresas a usar seus dados de forma segura para incrementar vendas, reduzir a perda de clientes, prevenir fraudes e otimizar processos, como análises de crédito.

A tecnologia da Fligoo se integra aos servidores existentes do cliente de forma remota e entrega resultados que conseguem superar o ROI de projetos ou iniciativas desenvolvidos internamente. A Fligoo usa IA para criar modelos preditivos do comportamento do consumidor.

Esses usam vários métodos, incluindo florestas de decisão aleatórias, redes neurais e aprendizagem profunda, que permitem determinar qual produto é melhor para qual tipo de cliente, quando este deve ser oferecido, de que forma e por qual canal. O sucesso dessa abordagem é vista nos resultados comerciais que, em média, saltam 25%. Caso de um dos maiores bancos do Canadá que em dois anos de parceria registra mais de US$ 300 milhões em incremento de venda do seu cartão de crédito.

Parte da operação da startup se baseia em Córdoba na Argentina. É lá que ficam também os seus cientistas de dados, responsáveis pelo desenvolvimento da tecnologia da startup. São cerca de 40 pessoas dedicadas a treinar, testar e aprimorar os seus algoritmos.

“Os clientes enxergam os nossos produtos como soluções holísticas que resolvem os seus maiores problemas para crescer e reter clientes . Somos uma alternativa bem vinda ao trabalho das consultorias tradicionais que dizem trabalhar com AI mas no final das contas entregam apenas belos PowerPoints”, afirma Naupari.

Ao longo dos anos, a Fligoo vem chamando a atenção do mercado. Em 2019, por exemplo, a empresa foi uma das sete selecionadas do programa Start Path, da Mastercard, que passou a apresentá-la à sua base de clientes. Hoje, além do hub em Córdoba, a empresa tem operações nos EUA (São Francisco, Nova York e Miami) e em Londres. Por lá, a startup integra o Scale Fintech, iniciativa da PwC para startups financeiras, e do programa de aceleração do Royal Bank of Scotland.