A Origin nasceu com um propósito claro: fazer com que o planejamento financeiro seja disponível para qualquer pessoa em qualquer momento da vida. Fundada em 2018 pelo americano Matthew Watson e pelo brasileiro João de Paula e com escritório em São Francisco, na Califórnia, a fintech recebeu um aporte de US$ 12 milhões em sua rodada série A liderada pelo fundo Felicis Ventures, o equivalente a R$ 63 milhões.

Com uma tecnologia robusta, a Origin ajuda empresas a aliviarem o estresse financeiro de seus funcionários oferecendo diversos benefícios dentro do mesmo produto. Entre os principais clientes atendidos até agora estão Nextdoor, Chive, Fuze, Modern Health e Clover, já somando milhares de beneficiários nos Estados Unidos, a maioria na faixa etária de 20 e 40 anos.

A Pesquisa Anual de Bem Estar Financeiro da PWC de 2019 revela o prejuízo que os empregadores nos Estados Unidos têm a cada ano devido ao estresse financeiro dos funcionários. Entre os entrevistados na pesquisa, 72% dos funcionários alegaram se preocupar com suas finanças enquanto trabalham. Cerca de 80% disseram que mudariam para uma empresa que se preocupa com seu bem-estar financeiro, 59% apontaram que o dinheiro é sua principal fonte de estresse e 56% se preocupam com a aposentadoria.

O prejuízo causado por essas distrações, faltas em dias de trabalho e o custos com novas contratações, ou tempo em treinamento, é estimado em US$ 500 bilhões, sem contar o impacto na saúde mental de cada pessoa.

Na Origin, o colaborador conta com o suporte de um conselheiro financeiro que o ajuda no gerenciamento de seu orçamento e a entrar no caminho do bem estar das finanças. “Estamos ao lado dos usuários desde o planejamento de um fundo de emergência, até o momento de se programar para a chegada dos filhos. O objetivo é que a pessoa se sinta no controle da sua vida financeira e consiga fazer com que seus recursos trabalhem a seu favor”, explica João de Paula, cofundador da Origin e chefe de tecnologia. 

Com a covid-19, o impacto social da ferramenta só aumentou, uma vez que muitas pessoas foram forçadas a consumir suas escassas reservas financeiras e, muitas vezes, precisam de suporte para colocar suas finanças sob controle. “Em todos os países, inclusive no Brasil, as pessoas têm suas finanças como uma das principais fontes de estresse e sabemos que a preocupação ou até o desespero vai ser ainda maior com essa crise”, explica o empreendedor.

João de Paula, cofundador da Origin e chefe de tecnologia.

O executivo explica ainda que “a falta de uma visão completa dos gastos e do orçamento, atrelado à baixa educação financeira, mantém a maior parte das pessoas em uma situação de stress constante e vulnerável às instabilidades durante boa parte de suas vidas”.

A plataforma da Origin customiza a abordagem de acordo com a situação do usuário. Se ele tiver empréstimos estudantis, por exemplo, o produto auxilia a explorar planos de repagamento da dívida, ou até a refinanciar o passivo. “A resposta para o problema depende da pessoa e da situação específica que se encontra naquele momento”.

Anteriormente, João foi fundador do Glio, a primeira empresa da América Latina a ser acelerada pela Y Combinator, a maior aceleradora de empresas do mundo, localizada no Vale do Silício. Em uma de suas idas para São Francisco, ele conheceu Matthew, seu sócio atualmente na Origin.