O Magazine Luiza anunciou hoje a aquisição da startup Stoq, que chega para, entre outras coisas, oferecer ferramentas de atendimento intuitivo para pequenos e médios varejistas. A startup tem sede em São Carlos e, agora, passa a integrar o Luizalabs. O valor da transação não foi revelado.

Esta é a quinta aquisição tecnológica do Magazine Luiza no ano – a empresa já adquiriu, em 2020, a livreira Estante Virtual, a startup Hubsales, a plataforma de geolocalização da Inloco Media e o portal Canaltech.

Com a aquisição, a Stoq passa a integrar o Magalu as a Service (MaaS) e oferecer ferramentas para complementar o Parceiro Magalu, levando digitalização para as lojas físicas desses pequenos e médios negócios. A startup vai possibilitar, por exemplo, que pequenos varejos e prestadores de serviço aceitem em suas lojas físicas pagamentos com a carteira digital do Magalu, o Magalu Pay.

Além disso, a Stoq permite que o Magazine Luiza passe a digitalizar empresas de diferentes categorias com sua plataforma, como restaurantes, estabelecimentos de saúde e beleza e supermercados.

Em 2019, o Magazine Luiza fez uma oferta de ações, com a qual aumentou o caixa em R$ 4,2 bilhões. Com isso, vem fazendo aquisições estratégicas para fortalecer sua plataforma multicanal de vendas dentro de seus pilares: Magalu ao seu Serviço, entrega mais rápida, novas categorias, superapp e crescimento exponencial.

“O Magalu está aberto a aquisição “de qualquer empresa, não se surpreendam”

Foi o que o presidente-executivo do Magazine Luiza, Frederico Trajano, disse a analistas do setor de varejo na semana passada. “É muito amplo o espectro (de alvos de aquisição) quando se tem visão tão abrangente quanto a nossa. Não é qualquer peça que se encaixa no quebra-cabeças, mas podemos comprar todo tipo de empresa. Não se surpreendam”, disse.

Ainda,  na última semana, o Magazine Luiza divulgou que suas vendas totais de abril a junho somaram R$ 8,6 bilhões, um aumento de 49% ante mesmo período de 2019, superando a rival Via Varejo, com R$ 7,26 bilhões no trimestre. Segundo o presidente, a rede segue apostando na estratégia de dar a suas lojas físicas também o papel de serem mini centrais de distribuição de produtos e que a companhia vai retomar a abertura de pontos físicos no país neste semestre.