O Magazine Luiza realizou nesta quinta-feira, um duplo movimento para aumentar a audiência e eficácia de sua ferramenta de anúncios online, o Magalu Ads. A empresa adquiriu o site de conteúdo sobre tecnologia Canaltech e a plataforma de mídia online desenvolvida pela startup Inloco.

“A ideia é, com o conteúdo do Canaltech e a tecnologia da Inloco Mídia, monetizar essa audiência”, diz Frederico Trajano, CEO do Magazine Luiza. “A união de e-commerce, conteúdo e publicidade é um negócio em expansão em todo o mundo. Queremos fazer parte dele e, assim, oferecer novos serviços aos nossos sellers. Nossa plataforma tem tudo para ser uma das maiores e mais eficientes do mercado.”

A partir de agora, por meio do Magalu Ads, os parceiros do Magazine Luiza poderão expor seus produtos nos sites do próprio Magazine Luiza, da Netshoes, da Zattini e do Canaltech, por meio de e-commerce content e de publicidade nativa.

Com a solução de localização da Inloco, o seller poderá oferecer seus produtos para clientes que estejam próximos de sua região, reduzindo custos de frete e prazos de entrega. Para lojistas incluídos no Parceiro Magalu – pequenas empresas, ainda essencialmente digitais – a plataforma de geolocalização promove a captação de clientes para as lojas físicas. O Canaltech, por sua vez, une conteúdo de qualidade e ofertas que estão diretamente ligadas aos interesses de audiências específicas, uma tendência batizada de e-commerce content.

Magalu ao Seu Serviço e Superapp

A aquisição do Canaltech e da plataforma de mídia da InLoco, segundo movimento anunciado pelo Magazine Luiza em apenas uma semana, reforça o pilar estratégico batizado de Magalu ao Seu Serviço, um conjunto de soluções colocadas à disposição dos parceiros e que é fundamental para o propósito da companhia: a digitalização do varejo brasileiro. No final de julho, o Magalu anunciou a compra da Hubsales, startup que conecta fabricantes a consumidores finais.

A entrada do Magazine Luiza no mercado de ads também fortalece a estratégia de superapp da empresa. Segundo a consultoria americana eMarketer, em 2020, dois terços de todo o investimento mundial em publicidade programática serão destinados a anúncios para celular. E, de acordo com estudo da agência americana de publicidade Adyoulike, o mercado global de publicidade nativa deve crescer 372%, entre 2020 e 2025 – passando dos atuais 85,8 bilhões para 402 bilhões de dólares.