A tecnologia tem revolucionado os cuidados médicos. A telemedicina, consulta realizada à distância com apoio de smartphones, tablets ou computadores, é um dos modelos aliados para controlar e combater a covid-19, doença infecciosa causada pelo novo coronavírus. Esse movimento de isolamento tem impulsionado o atendimento médico remoto, que limita o contato com doentes, idas desnecessárias ao hospital, além de garantir a interação entre médico e paciente a qualquer momento.

Em discussão entre os médicos no Brasil há anos, o serviço que não era regulamentado até o começo deste mês pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), foi autorizado em caráter excepcional e enquanto durar a pandemia de covid-19. Ou seja, o conselho reconhece a modalidade para atendimento pré-clínico, de suporte assistencial, de consulta, monitoramento e diagnóstico tanto em atendimentos do Sistema Único de Saúde como da rede privada. As teleconsultas já funcionam no exterior, em países como China e Estados Unidos.

No Brasil, startups como a Amparo Saúde, rede de Atendimento Primário à Saúde com foco em Medicina de Família, oferece atendimentos médicos online, onde o paciente pode contar com apoio e orientação do seu médico de família a qualquer momento. “A teleconsulta significa uma verdadeira revolução no acesso à medicina de qualidade, em qualquer parte do mundo”, conta o Dr. Gentil Jorge, médico e Diretor de Relações com o mercado da startup, que separou cinco vantagens desse modelo:

Segurança

Uma das maiores vantagens da telemedicina e do laudo à distância é a segurança para os envolvidos, seja médico ou paciente. Evitar as idas desnecessárias ao hospital, o contato com outros pacientes que podem estar infectados ou ainda a bactérias hospitalares, são cautelas ainda mais importantes em tempos de epidemias. Além disso, armazenar exames ficou mais fácil com o banco de dados, que pode ser acessado a qualquer momento pelo médico responsável.

Agilidade e otimização do tempo

A agilidade dos processos está ligada a possibilidade do envio e acesso de laudos e receitas de forma mais rápida e otimizada. Um arquivo eletrônico, diferente da versão em papel, pode ser acessado simultaneamente por múltiplos usuários. Além disso, a otimização do tempo envolve as consultas remotas em qualquer lugar a qualquer hora, onde o paciente estiver. Como uma ferramenta de apoio na tomada de decisão para o paciente, que precisa de auxílio no tempo correto, seja medicando ou orientando a ida para emergência do hospital, buscar um médico online é a melhor solução para não precisar se expor a outros riscos desnecessários de um ambiente hospitalar, caso não seja preciso.

Acessibilidade

Para que a consulta ocorra é necessário que ambos os envolvidos tenham um aparelho eletrônico à disposição, seja um celular ou notebook. Segundo dados da GSMA, empresa de análise de dados, em todo o planeta, 5,1 bilhões de pessoas usam algum tipo de aparelho celular. A pesquisa equivale a 67% da população mundial. Ou seja, a aquisição eletrônica só ganharia mais uma utilidade, agora com a possibilidade de realizar consultas médicas. Além disso, outra pesquisa, divulgada pela Associação Paulista de Medicina (APM), mostra que 65% dos médicos se comunicam com pacientes e seus familiares via redes de mensagem após o horário de atendimento clínico, dando dicas ou ainda passando orientações. Os dados mostram que há apoio tecnológico e ainda disponibilidade médica.

Resolutividade

Com atendimento dedicado no momento certo, o paciente conta com resultados e conclusões médicas mais rápidas. Isso porque o médico pode contar com apoio de uma equipe, que pode analisar os resultados e chegar a uma conclusão precisa. Com a tecnologia os processos evoluíram e, hoje, é possível otimizar demandas e evitar deslocamentos desnecessários do paciente entre diversas clínicas e laboratórios com a ajuda de um sistema eficaz e ágil em resultados.

Humanização

Apesar da falta de contato direto, assim como ocorre em consultas presenciais, o médico de família, especialidade comum no atendimento remoto, é responsável por humanizar todo o processo. Sempre com viés preventivo, estimulando ações de promoção à saúde e adoção de mudanças comportamentais que levam as pessoas a terem uma vida mais saudável, a especialidade encara a saúde do paciente de forma integral, considerando aspectos biológicos, psicológicos, sociais e familiares. Ou seja, com um médico que conhece seu laudo e quadro geral, é possível atuar a favor da saúde do paciente e não apenas quando a doença já se manifestou.