Grupo Petz, maior ecossistema pet do País, adquiriu a Petix, companhia de fabricação de tapetes higiênicos e linha de produtos e acessórios para animais por  R$ 70 milhões. Como a categoria de tapetes higiênicos é pouco penetrada no mercado, o Grupo Petz pretende se consolidar nesse movimento transformacional.

Fundada em 2007 por Rogério Haddad e Luiz Fernando Reis Lourenço, a Petix utiliza tecnologia exclusiva, proprietária e eco-friendly. Por meio da marca Super Secão, a marca é referência em alta performance (absorção), com uma proposta de valor única e um posicionamento Premium.

A Petix opera em Monte Mor, São Paulo, a única fábrica do mundo que integra o processo de produção de tapetes higiênicos com o reprocessamento (despolpadora) de fraldas humanas não utilizadas para obtenção de sua principal matéria-prima, o gel absorvente. Com essa tecnologia, a empresa é capaz de reprocessar mais de 600 milhões de fraldas humanas não utilizadas por ano que seriam descartadas. Em 2021, seu faturamento bruto estimado foi de R$ 135 milhões, representando um CAGR de cerca de 29% no período compreendido entre 2019 e 2021.

“A aquisição da Petix confirma nossa proposta de nos associarmos aos líderes de mercado, com diferenciais relevantes em suas áreas, trazendo novas competências para o Grupo Petz e contribuindo com a nossa visão de sermos mundialmente reconhecidos como o melhor ecossistema do segmento pet até 2025″, afirma Sergio Zimerman, CEO e fundador da Petz.

Com produto diferenciado em uma categoria que cresce em ritmo acelerado, a Petix é a única empresa 100% focada na fabricação de tapetes higiênicos e fraldas para cães, e atende mais de 300 mil pets de forma recorrente. Em pesquisa realizada pela TM20, o tapete higiênico é uma das categorias que mais crescem no Brasil, devido, basicamente, a três fatores: verticalização e urbanização das cidades brasileiras, com menos quintais; humanização; e aumento na expectativa de vida dos pets.

“Este movimento tem total aderência ao plano de negócios do Grupo Petz e intensifica nossa atuação em um dos segmentos que mais crescem no mercado pet nacional (e internacional) pela ainda baixa penetração. A Petix é a marca com maior awareness na categoria, associada a um processo produtivo vertical e único no mundo, no qual milhões de fraldas humanas que seriam descartadas no meio ambiente são 100% reaproveitadas. Esse é inclusive um elemento vital para a qualidade superior dos produtos da empresa — que futuramente também será responsável por parte da produção dos tapetes da Zee.Dog, atualmente importados. Isso sem falar na capilaridade que ganharemos com os mais de 8 mil PDVs acessados de modo recorrente pela força de venda da Petix”, afirma Aline Penna, CFO, IRO e responsável pela área de M&A e Novos Negócios da Petz

Sobre a transação

A compra envolve 100% do capital da Petix, que foi avaliada em R$ 70 milhões (Valor da Firma ou EV), sendo R$ 35 milhões em ações. Caso a companhia atinja determinadas métricas, um earn-out de até R$ 10 milhões poderá ser pago em três parcelas relativas ao desempenho verificado nos anos de 2023 a 2025.

Ainda sujeita à aprovação do CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), a negociação contempla a permanência na operação dos sócios executivos: fundador e CEO Rogério Haddad, fundador e CMO/Vendas, Luiz Fernando Lourenço, do general manager USA Krister Holm, além dos executivos-chave para a operação. Na transação os acionistas da Petix se comprometeram a não negociar suas ações por prazos contratualmente definidos (lock-up).

“Fizemos o deal com a Petz porque a indústria precisa seguir inovando e desenvolvendo novos produtos para crescer – e para isso são necessários investimentos e parceiros corretos para atendermos cada vez melhor nossos clientes, seja no Brasil, seja no exterior. Adicionalmente, a Petix traz a força de seu canal B2B, com mais de 8 mil PDVs no Brasil, para explorar as marcas do Grupo Petz – principalmente a Zee.Dog de forma muito mais abrangente – ainda mais por trazer consigo a natureza de um produto com forte recorrência de compra”, diz Rogério Haddad, fundador e CEO da Petix.


* Foto destaque: Sergio Zimerman, CEO e fundador da Petz.