A startup mexicana Justo anunciou a aquisição de 100% do Freshmart, supermercado on-line do Peru, em uma transação cujo valor não foi divulgado. Com a compra, a empresa dá continuidade à sua expansão na América Latina.

Para Ricardo Weder, CEO e fundador do Justo, ao contrário da entrada da startup no Brasil onde a empresa entrou no mercado com a marca própria e um investimento de 40 milhões de dólares, no caso do Peru o seu compromisso em adquirir à Freshmart foi o crescimento exponencial da startup, aliado à expansão do negócio na América Latina.

“No Justo nascemos com a ambição de transformar a indústria de consumo e fazer parceria com os melhores empresários da América Latina, pois essas alianças permitem expandir as nossas operações. Hoje estamos no Brasil e com o Freshmart marcamos presença no Peru com um supermercado 100% digital e com poder de crescimento enorme no seu segmento”, comenta Ricardo Weder.

Fundado em 2016, o Freshmart é um supermercado digital que atua na cidade de Lima com um estoque de 8 mil produtos e que possui um diferencial em relação aos seus concorrentes no setor de produtos frescos. Com esta aquisição, o Justo passará a operar de forma independente, mantendo sinergias em termos de Inteligência Artificial e desenvolvimento tecnológico. Os próximos países que essa plataforma alcançará serão Colômbia e Chile.

Apesar do ambiente econômico instável, o Justo confia que os investimentos em startups que estão ocorrendo na América Latina terão continuidade ao longo deste ano e no próximo. A empresa arrecadou mais de US$ 100 milhões nos últimos dois anos. Em sua última rodada, obteve um financiamento de 65 milhões de dólares e espera fazer mais uma rodada de investimentos ao longo de 2022.

O Justo é um supermercado totalmente digital. Seus usuários podem realizar a compra de produtos das principais categorias de um supermercado tradicional: frutas, verduras, legumes, orgânicos, mercearia, limpeza doméstica, higiene pessoal, entre outros. A entrega é feita no mesmo dia da compra ou pode ser planejada com até 30 dias de antecedência.


Foto de destaque: Ricardo Weder, CEO da Justo. (Credito: Isaac Alcalá Nacar).