* Por Rubens Neistein

As criptomoedas estão na moda, mas descobrir quais representam os melhores investimentos não é tarefa simples. A intensa volatilidade, com altas agressivas normalmente acompanhadas de quedas bruscas, assusta os usuários mais conservadores ao mesmo tempo que suas características peculiares exigem maior compreensão e conhecimento das pessoas. Em todo o caso, algumas das principais moedas digitais já estão presentes nos principais meios de comunicação e começam a ganhar espaço no dia a dia. Confira os melhores criptoativos para investir até o fim de 2021 

 1 – Bitcoin (BTC) 

A primeira – e mais popular – criptomoeda do mundo segue no topo das preferências de investimentos. Mesmo com sua já conhecida volatilidade, inclusive com perdas em meados de setembro de 2021 em decorrência de crises externas, o fato é que esse criptoativo tende a bater recordes de valorização. Projeções mais otimistas indicam que deve ultrapassar a marca de US$ 100 mil até o fim do ano.  

 2 – Ethereum (ETH) 

ethereum é o principal altcoin (nome dado às alternativas ao bitcoin) e também está sofrendo com a reação do mercado cripto à crise da economia global. Mas, antes dessa queda em setembro, a moeda digital registrava recordes históricos de valorização – muito em razão da atualização de sua plataforma. A expectativa é o ativo conseguir passar o recorde histórico e se estabilizar nos US$ 4 mil por unidade.  

3 – Polkadot (DOT) 

Entre maio e julho, esse ativo registrou um grande recuo no preço de sua unidade após bater seu recorde histórico de US$ 49,80. Contudo, o que se viu nos dois meses seguintes indica forte recuperação, com crescimento de 256% em seu valor e capitalização 66% superior à da Ethereum no período. Os indícios mostram alta consistente, colocando a moeda em evidência para investidores.   

4 – Cardano (ADA) 

No início de setembro de 2021, a Cardano, moeda nascida em 2017, atingiu seu pico de valor, com a unidade valendo US$ 2,96. Houve ligeira queda desde então, é verdade, mas o preço ainda está muito acima dos US$ 0,17 registrados no primeiro dia do ano. A Cardano tem um poder de mobilizar a comunidade e a tendência é aumentar ainda mais o valor, principalmente com o lançamento de sua nova plataforma.  

5 – Binance Coin (BNB) 

Moeda digital criada para ser usada na Exchange de mesmo nome, o Binance Coin se consolidou como um importante criptoativo. Pode ser utilizado tanto como método de pagamento quanto token de utilidade para eventuais taxas na corretora. A moeda experimentou forte valorização no início de 2021, passou por queda entre maio e julho, mas segue em recuperação e deve fechar o ano em alta.  

6 – Uniswap (UNI) 

É o token de governança da corretora descentralizada de mesmo nome e completou seu primeiro ano de atuação agora em setembro de 2021. Avaliado em menos de US$ 4 em dezembro de 2020, chegou a ser negociado por US$ 43,16 no início de maio. A queda que afetou o mercado de criptoativo entre maio e julho impactou as negociações, mas o ativo já está em recuperação e a expectativa é de alta até o fim do ano.  

7 – PancakeSwap (CAKE) 

É mais um token de governança nativo de uma corretora descentralizada com o mesmo nome. Sua trajetória segue a mesma tendência de sua concorrente Uniswap. Ou seja, alta agressiva nos primeiros meses de 2021, com recorde no valor negociado (US$ 42,59 no fim de abril) e queda brusca a partir de maio até julho. A moeda digital está em caminho de recuperação e o lançamento de novo marketplace NFT deve potencializar o crescimento.  

8 – Theta (THETA) 

Lançada em 2019, Theta é um token de governança para a plataforma de mesmo nome que funciona como compartilhamento de conteúdo e vídeo de ponto a ponto. Em março de 2021, a valorização do ativo era tão grande que chegou a crescer 17.000% em um ano e se posicionar entre as dez maiores moedas digitais. O valor recuou um pouco a partir de abril, mas o criptoativo segue em evidência para o restante de 2021. 


* Rubens Neistein é Business Manager  da CoinPayments, processadora de pagamentos em criptomoedas.