Com o mundo globalizado e 100% em que vivemos, torna-se cada vez mais importante ter uma marca fortalecida e conhecida. O dinamismo gerado pela internet torna cada vez mais rápido o aparecimento, e consequentemente o desaparecimento, de empresas que surgem no mercado. Cabe a esses negócios utilizarem de estratégias para chamar atenção e se manter em evidência.

Observando essa oportunidade, surgiu a Squid. Fundada em 2014, por Felipe Oliva e Carlos Tristan, a startup trabalha com o marketing de influência, atuando no planejamento e execução de campanhas personalizadas com influenciadores, com a finalidade de não apenas alavancar o nome da empresa, mas também, para manter o negócio em evidência.

A Squid foi adquirida, nos últimos 15 dias, pela Locaweb, por cerca de R$ 180 milhões. Agora, a empresa líder em marketing de influência, passa a receber ainda mais empresas em seu leque de clientes. E, para comentar sobre esse caminho empreendedor, do surgimento da ideia até o exit, Felipe Oliva, fundador da Squid, foi o entrevistado do Episódio#10 do Exit in Action!, programa comandado por Geraldo Santos, CEO do Startupi e João Kepler, CEO da Bossanova Investimentos.

Durante a conversa, Felipe comentou que sempre teve como objetivo ter o seu produto o mais adaptável possível para o cliente, pois acredita que com essa forma de trabalho dinâmico, os resultados são mais bem alcançados e com maior agilidade. Ele explica que saber lapidar o negócio e realizar um atendimento único junto ao cliente é o diferencial buscado por todos desde a primeira reunião. Conclui ao falar que o empresário não deve ter medo de arriscar ou de tentar algo diferente, fala também que ser diferente é o que chama a atenção do mercado.

squid Duopana

Felipe Oliva – Squid.

Seguindo nessa ideia, João Kepler, concorda com o pensamento do fundador da Squid e brinca que “Não é apenas criar e vender a empresa no outro dia, como se fosse mágica. Tem todo um trabalho de sofrimento e de dor. Empreendedor tem dor no final, e não é por acaso”. O executivo comenta que apesar da jornada não ser fácil, é necessária para criar coragem e evitar futuros problemas no negócio.

Ainda comentando sobre a jornada, Felipe destacou alguns pontos que foram importantes para ajudar em sua formação. Dentre eles, fala que foi muito importante reconhecer pontos que podiam ser melhorados dentro do projeto, explica que ao longo de sua trajetória, viu companheiros que acreditavam ter um plano perfeito e se recusavam a receber dicas externas que melhorariam sua empresa. Ainda fala que entre ideia e empresa existe uma longa jornada, mas que não é preciso seguir sozinho nesse trajeto.

Comentando sobre o Exit realizado pela Squid, foram levantados e debatidos diversos pontos e alertas que os empreendedores devem ter antes de pensar em vender empresas ou abrir capital, como a importância ter a empresa estruturada tanto juridicamente como na parte fiscal, tributária, trabalhista, para evitar complicações ou atrasos contratuais.

Felipe contou que teve dificuldade na hora de criar seu valuation, explicou que deve-se definir valuation, pensando no futuro que a empresa vai ter, mas ainda levar em conta também que é uma parte da sua empresa que está sendo vendida e não deixar disponível algo que vá se arrepender depois. João Kepler, aconselhou para os empreendedores o uso de uma ferramenta criada por ele, para ajudar na defiiçao do  valuation.

Finalizando sua participação, o fundador da Squid comenta que coragem e confiança são pontos fundamentais a serem colocados pelos sócios do negócio. Fala que é preciso confiar no projeto e se sentir bem no momento do Exit, para ter certeza que vai gerar interesse no mercado, além de saber escutar feedbacks dos clientes constantemente. Como último ponto, Felipe comenta que é preciso saber receber e procurar ajuda, não ter certeza de tudo e ver o projeto com olhos externos.

Confira abaixo o Episódio#10 na íntegra:

Ouça também o Podcast do programa:


Quer participar dos próximos Episódios? Clique aqui, faça seu cadastro e receba os links de acesso.