O Musii, rede social musical, acaba de receber um aporte de R$ 500 mil do grupo de investimento-anjo BR Angels Smart Network. Além da quantia, o BR Angels ainda se compromete a investir Smart Money na startup por meio de mentorias com os mais de 150 executivos de grandes empresas associados ao grupo.

Com mais de 6 mil usuários e 600 mil interações em apenas três meses de existência, a startup oferece um aplicativo em que é possível encontrar pessoas com gostos musicais parecidos, descobrir novas músicas e compartilhar os sons preferidos, sem que eles se percam entre os diversos assuntos tratados nas redes sociais convencionais.

O aporte será destinado ao desenvolvimento de novas funcionalidades, marketing e testes de modelos de monetização. A rede social pretende chegar aos 300 mil usuários nacionais até o final do ano, além de expandir internacionalmente a partir de 2022. A estimativa é que mais de 4,5 milhões de pessoas participem da comunidade até 2023.

Apesar de ainda não monetizar o negócio, a startup almeja faturar em três frentes: marketplace, onde o usuário poderá comprar artigos musicais de bandas independentes; assinatura premium, em que o usuário poderá ouvir a música completa, pois atualmente somente trechos estão disponíveis na plataforma; e serviço de identidade musical voltado para marcas e estabelecimentos comerciais que queiram se comunicar através da música.

Segundo a associada do BR Angels e Board Advisor do Musii, Amanda Andreone, a startup traz uma proposta inédita para o portfólio de investimentos da rede. “O Musii é um negócio totalmente diferente do que normalmente temos nas investidas. É uma abordagem contemporânea e visionária, alinhada com uma das mais importantes tendências de qualquer mercado, que é a Experiência Individual do Cliente. Também não posso deixar de mencionar que a energia dos empreendedores nos contagiou de tal forma que resolvemos ampliar nossos horizontes e experimentar o novo”, explica.

Gratuito e compatível tanto com dispositivos Android quanto iOS, o Musii ainda tem o propósito de valorizar artistas independentes, geralmente prejudicados pelos algoritmos, que dão maior destaque aos grandes nomes do mundo da música, como relata Arthur Baccam, cofundador da startup.

“Hoje, 99% das músicas ouvidas no Spotify, por exemplo, vêm de apenas 10% dos artistas cadastrados na plataforma. O algoritmo do Musii valoriza o artista independente e nós acreditamos que a rede social irá democratizar o mercado da música e inverter essa métrica, fazendo com que mais artistas sejam ouvidos no mundo inteiro”, declara.

Dessa forma, a startup chamou a atenção de músicos independentes, ex-integrantes do The Voice Brasil e até grandes nomes atrelados ao cenário musical brasileiro. Com altos índices de engajamento, o aplicativo lança diariamente desafios de hashtags para os usuários postarem músicas que remetem a determinado tema, como canções que marcaram a infância e músicas para pegar a estrada. Agora, a startup busca parceiros do setor de streaming musical para a implementação de um novo modelo denominado Social Streaming, em que os assinantes poderão ouvir as músicas completas dentro da plataforma, em uma nova experiência em que as canções são sugeridas por outras pessoas e não por Inteligência Artificial.

“O Musii é exclusivamente relacionado à música e, por isso, é o lugar certo para viver a música, interagir sobre esse tema e buscar mais visibilidade para artistas independentes, que hoje possuem pouco espaço para atingir o grande público. Além disso, queremos trazer o conceito de gamificação para o universo musical, buscando melhorar a percepção do usuário, metrificar o engajamento e gerar retenção”, comenta o cofundador Hid Miguel.

Para o fundador e CEO do BR Angels, Orlando Cintra, a startup chamou atenção pela inovação e potencial de escalabilidade. “O BR Angels quer diversificar cada vez mais o portfólio de startups investidas, pois os nossos mais de 150 associados, que são executivos de grandes empresas dos mais variados segmentos, podem somar com know-how e abrir portas para os novos negócios decolarem. Outro ponto é que a música e a arte, de forma geral, se mostraram fundamentais durante o momento histórico de tantas restrições que estamos vivendo, então iniciativas dentro desse universo são bem-vindas e estão em alta ”, conclui.

Fotos em destaque: ArthurBaccam e Hid Miguel, Cofundadores da Mussi.


Quer acompanhar de perto todos os investimentos no ecossistema de startups? Siga as redes sociais Startupi e acesse nosso ranking de investimentos do mês.