A Carefy, healthtech voltada para gestão e monitoramento de internações, recebeu um novo aporte de R$1,7 milhão. O valor conquistado veio de duas investidoras, a Bossanova Investimentos e a Elife Participações, esta última participando com R$ 1,5 milhão do montante. Anteriormente, a healthtech já havia sido apoiada pelo investidor-anjo Fabricio Scaff Galvão.

“Foi importante apoiar a Carefy em uma fase de ganho de maturidade e escala, e agora chegamos a uma solução completa, pronta para ganhar o mercado”, afirma Galvão. “Esta fase da empresa, junto com os investidores que chegam, abrirá novos horizontes já que há uma urgência do mercado da saúde por soluções robustas como a nossa, que entrega custo e eficiência ao setor”, explica.

Fundada em 2017, a Carefy possui tecnologia para gerenciar e monitorar internações de forma abrangente, com foco na melhoria do atendimento e na formalização de processos, colaborando na auditoria de contas e sinalizando possíveis inconsistências que podem interferir nos sinistros. A solução consiste em um aplicativo móvel que permite o acompanhamento da evolução clínica, comunicação entre equipes de auditores e autorizações, tudo em tempo real e de forma centralizada.

Para os fundadores Erika Monteiro, José Carlos Bueno de Moraes e Marcelo Santos, o anúncio do aporte marca um período de reconhecimento e consolidação da empresa, que nos últimos dois anos entrou para o ranking Top 10 HealthTechs da 100 Open Startups. “Sabemos do nosso potencial dentro do mercado de saúde e estamos comemorando este momento, pois criamos a Carefy para melhorar a qualidade do atendimento aos pacientes de forma transparente, permitindo que as operadoras otimizem processos e gastos desnecessários, ou seja, apostamos em uma solução completa”, afirma Marcelo Santos, que atualmente é o CEO da empresa.

Com este investimento, a Carefy planeja expansão comercial da healthtech, com intuito de aumentar o time e trazer mais inovação. O propósito é gerar mais valor para os clientes. “Procuramos contribuir e desenvolver na área da saúde, trazendo boas  experiências para as operadoras e para os pacientes”, diz.

De acordo com dados do HealthTech Report 2020, pesquisa feita pelo Distrito, o número de startups na área de saúde cresceu 118% entre 2018 e 2020 — mais da metade têm menos de cinco anos de criação. Desde 2014, já foram investidos mais de US$430 milhões nas startups brasileiras dessa área. No mundo todo existem 41 healthtechs consideradas unicórnios, ou seja, avaliadas em mais de US$1 bilhão.

“Vemos o problema que a Carefy está resolvendo em auditoria médica como um mercado de muito potencial nesta década. Por isso, para nós é uma honra trabalhar com o time e investir na ideia”, afirma Alessandro Lima, sócio da Elife Participações.

“Estamos muito contentes com esse apoio à Carefy. Esperamos que o futuro da empresa seja de cada vez mais sucesso. As startups de saúde cresceram muito durante a pandemia e estão mostrando que conseguem trazer soluções para esse mercado tradicional e chegar em mais pessoas. Investir em inovação é muito importante para o presente e futuro do Brasil”, comenta João Kepler, CEO da Bossanova Investimentos.

Foto de destaque: Fundadores da Carefy Erika Monteiro, José Carlos Bueno de Moraes e Marcelo Santos.


Quer acompanhar de perto todos os investimentos no ecossistema de startups? Siga as redes sociais Startupi e acesse nosso ranking de investimentos do mês.