Mais uma semana terminando e com ela, um episódio fresquinho do programa “O Anjo Investidor” para você acompanhar no comando de João Kepler, um dos investidores mais ativos do Brasil. Na semana passada, você viu a história da Lilu, uma startup que oferece diversos serviços relacionados ao mundo pet, como banho e tosa, por exemplo. Os responsáveis pela empresa tiveram a mentoria exclusiva do investidor-anjo e fundador da Pets Booking/SA, Robert Dannenberg, que os ajudou a conseguirem o tão almejado investimento.

No episódio desta semana, a startup selecionada foi a Oro Pay, fintech voltada para o setor dos desbancarizados e que possui o objetivo de criar uma inclusão social através de serviços financeiros. Atualmente, de acordo com a StartupBase, base de dados da Associação Brasileira de Startups (Abstartups), 548 empresas atendem a este segmento no Brasil.

“Nosso propósito é de dar ferramentas essenciais para todo mundo poder acessar o sistema financeiro e atuar plenamente na sociedade. Se eles têm acesso a uma conta bancária, uma facilidade de pagar contas, de transferências bancárias, poder recarregar celulares, pode comprar um serviço simples com um cartão de crédito ou débito dos bancos tradicionais, eles conseguem gerenciar a vida doméstica, financeira, e também a vida financeira das empresas deles”, conta Astrid Emmerich, CEO da Oro Pay. 

Natural da Alemanha, ela conta que já morou em outros 7 países e está há 14 anos no Brasil. Segundo a CEO, os serviços oferecidos pela Oro Pay tem como público alvo o mercado dos pequenos e microempresários, como vendedores, costureiras, manicures, dentre outros. “Esse é nosso foco principal. Então dando esse acesso a essas ferramentas, através da nossa plataforma Oro Pay, eles conseguem, sem custo nenhum, fazer esse passo muito importante para poder atuar no mercado, criar renda e ser financeiramente independente”. 

De acordo com Astrid, os principais clientes da plataforma são aqueles que moram longe dos grandes centros. “São pessoas que moram geralmente mais na periferia, nas comunidades, em lugares muito remotos, que são difíceis para atingir com serviços financeiros gerais, com cartões físicos. Então nossos clientes moram em todo o Brasil, em pequenas e grandes cidades, mas principalmente, fora do centro principal”.

Conheça um pouco mais da startup no vídeo abaixo!

Mentoria de Anjo

Jackson Gomes, engenheiro por formação com MBA pela Universidade de Chicago, foi o mentor da semana no programa. Ele participou da criação do primeiro banco digital no Brasil e hoje, trabalha com alguns deles visando incentivar esse mercado. Segundo ele, as fintechs têm muita chance de disruptura no mercado brasileiro.

“Aqui no Brasil, quando a gente fala do mundo de fintechs, é muito amplo. Nós temos muitas oportunidades, porque o sistema bancário é muito concentrado, então você pode melhorar muito a experiência dos clientes que já têm aqui, que usam os grandes bancos, mas você também pode aproveitar os clientes que não são bancarizados”. 

Desta forma, de acordo com Gomes, a organização precisa dar uma atenção especial a este ponto em específico. “A maioria são empreendedores, que fazem vendas, distribuição de produtos. Então eu acho que o fit da proposta da Oro Pay para o mercado brasileiro não é só adequado como também está no momento certo”, aponta. 

Por outro lado, destaca que a proposta da Oro Pay é bastante complexa. Para o mentor, a empresa em si não gera tanto valor de forma isolada. “É diferente de um cliente de uma fintech normal em que o cliente por si só já gera valor. Então, uma massa grande de clientes pode atrair distribuidores ou empresas interessadas em explorar esse público e fazer deles um canal de vendas para acessar essa população”.

Ele destaca a importância de focar naquilo que realmente importa para os negócios da startup. “Quais os canais prioritários, o que eu vou usar para vender primeiro, qual vai me trazer mais valor, até que de fato eu consiga construir uma marca dentro dessa população e que essa marca por si só consiga atrair esses interessados em vender para este público”. 

Jackson também aponta que a empresa possui ainda um custo de aquisição de clientes muito elevado em relação ao valor que o cliente traz hoje para a fintech. “Então você tem um grande desafio de aumentar a base para diminuir o custo de aquisição do cliente e agregar produtos para aumentar a utilização dessa base”, reforça. “Sempre que eu olho para uma startup nova, eu tendo a me separar da minha imagem anterior de banqueiro tradicional para uma coisa desafiadora, uma coisa nova. Eu acho que o Oro é um daqueles exemplos que você não consegue ver tudo. Pode ser que tenha um conteúdo muito interessante ali e que a gente não consiga ver hoje. Mas que no futuro, a gente vai ver com mais clareza”, finaliza.

Confira abaixo o vídeo com a mentoria completa!

Emmerich elogia o ambiente do mercado brasileiro e acredita nas chances oferecidas pelo mesmo. “A gente tem uma grande oportunidade com 47 milhões de adultos que não são bancarizados. Essa estatística a gente sabia em 2018, e agora em 2020, a gente viu, obviamente, com essa renda auxiliar que o governo está dando para as pessoas na época da pandemia, milhões de pessoas se cadastraram na Caixa Econômica para pedir esse auxílio”. E completa. “Você não precisa esperar alguém trazer uma renda para você. Você consegue sozinho fazer girar um negócio no seu canto e criar um PIB no seu cantinho e contribuir no grande crescimento do Brasil”. 

Quer saber se a Oro Pay vai conseguir o tão sonhado aporte? É só dar play no vídeo abaixo!