O Mercado Livre anunciou a abertura de cinco novos centros logísticos no Brasil: três em São Paulo (dois em Cajamar e um em Guarulhos), um em Governador Celso Ramos (Santa Catarina) e um em Extrema (Minas Gerais). Quatro, dos cinco centros, servirão à modalidade de Fulfillment, quando o estoque dos vendedores é totalmente gerenciado pelo Mercado Livre, desde o armazenamento até a entrega ao cliente; e um centro será na modalidade de cross-docking, entreposto em que a empresa coleta encomendas, preparadas pelos próprios vendedores, e entrega aos compradores.

As novas operações, cujas atividades estão previstas para iniciarem entre novembro de 2020 e o início de 2021, irão agregar 340 mil m² à malha logística 100% gerenciada pelo Mercado Envios, braço logístico do Mercado Livre, duplicando a capacidade de armazenamento e de processamento de encomendas. Esses novos centros logísticos fazem parte do plano de expansão das entregas em até dois dias para todo o país. Atualmente, a malha logística do Mercado Livre realiza entregas em até dois dias, a partir da modalidade de Fulfillment, em 1800 cidades brasileiras onde vive 80% da população do país.

Sobre a operação Fulfillment, na cidade de Cajamar (SP), a empresa terá dois novos CDs, de 75 mil m² e 112 mil m², respectivamente. O primeiro desses Já começou a operar na última semana.  Já em Governador Celso Ramos (SC), o Mercado Livre terá um CD de 32 mil m², com capacidade de expansão para até 71 mil m². Todavia, antes do CD ficar pronto, em meados de 2021, o Mercado Livre vai abrir uma operação temporária em janeiro, na mesma cidade, para atender a demanda da região Sul. A operação em Extrema (MG), terá 75 mil m² e começará a operar até o meio do ano que vem.

Já o Cross-Docking, localizado na cidade de Guarulhos, e que terá 50 mil m², processará centenas de milhares de pacotes todos os dias, e contará com a proximidade do aeroporto para reduzir prazos de entrega.

“Além do reforço contínuo na nossa malha logística, destaco os esforços do Mercado Livre em desenvolver tecnologia própria para gerenciar toda a nossa operação logística. Criamos soluções para controlar todos os elos da cadeia, desde o clique da compra até a chegada do pacote na casa do usuário. As entregas via Full são feitas 70% no dia seguinte, e 80% em dois dias, e seguiremos expandindo com o uso da nossa frota aérea dedicada, o Meli Air”, conta Leandro Bassoi, vice-presidente de Mercado Envios.

O executivo destaca ainda que os empreendimentos trarão benefícios para as comunidades do entorno e os empreendedores das regiões, por conta dos novos postos de trabalho e a possibilidade de escoamento da produção local. “Estamos trabalhando para democratizar o comércio e apoiar os empreendedores de todo o Brasil. A implantação dessas novas operações irá dobrar o número de postos de trabalho diretos, serão mais de 13.500 pessoas operando em nossos centros de Fulfillment e cross-docking até o fim de 2021”, reitera Bassoi.

Os novos centros de distribuição se somam aos três CDs de Fulfillment que a empresa possui – localizados em Cajamar e Louveira (SP), e Lauro de Freitas (BA) – aos 16 centros de Cross Docking, à dezenas de hubs de última milha, e às frotas de quatro aviões e milhares de veículos 100% dedicados à empresa. Atualmente, a empresa possui 600 carretas e mais de 10 mil vans que atuam entre os entrepostos, para ajudar nas entregas de encomendas.

A malha logística própria confere autonomia à empresa, que vem melhorando sua performance de entrega trimestre a trimestre. No período de julho a setembro deste ano, a rede gerenciada do Mercado Envios continuou ganhando penetração, atingindo 64% em uma base consolidada, encerrando o trimestre com 74%. No Brasil, a penetração da rede logística própria atingiu 68% do total das entregas no período, versus 51,6% do segundo trimestre de 2020, resultando em novo aumento do NPS (Net Promoter Score), que mede o nível de satisfação dos clientes.

Os novos centros logísticos estão contemplados no investimento anunciado pelo Mercado Livre de R$4 bilhões no Brasil ao longo de 2020, que envolve também a ampliação da frota própria de entregas, instalação de novos centros de distribuição e cross-dockings, e o desenvolvimento de novas ferramentas com o objetivo de reduzir o tempo e o custo de entrega do marketplace.