A startup Livima, que vem crescendo 30% ao mês no mercado imobiliário, recebeu novo aporte, em agosto, com captação em tempo recorde via crowdfunding no Brasil. Em apenas 72h, a proptech-fintech que une tecnologia com soluções imobiliárias e de serviços financeiros conseguiu levantar R$1 milhão.

Fundada em 2017, a startup oferece, além das negociações imobiliárias, possibilidade de contratação de financiamento, empréstimo com Garantia de Imóvel e Título de Capitalização em um único canal. “A junção de uma proptech-fintech faz total sentido para o mercado atual, e tem grande potencial de crescimento já em 2021. Acredito que parte do sucesso e da velocidade com que a Livima conseguiu fechar o round de captação é uma previsão boa de aumento de crédito e financiamento no mercado imobiliário. Com a Taxa Selic a 2%, e a competição entre os bancos e as financeiras, as taxas de juros estão cada vez menores, tornando este tipo de crédito mais acessível para todos”, afirma Felipe Bogoricin, fundador e CEO da startup.

A empresa vai receber, ainda este mês, um aporte de R$ 185 mil através de um programa de incentivo do Governo do Estado do Rio de Janeiro.  Segundo Felipe, o novo capital será investido em tecnologia e inovação, além de atração de novos clientes.

100% digital, sem comissão

A startup está lançando este mês um aplicativo, disponível para Android e IOS. A expectativa é que o app impulsione o crescimento da empresa, uma vez que vai melhorar a experiência do usuário. “Tudo é feito para que o cliente resolva tudo pelo celular.  É possível criar um anúncio, acompanhar o desempenho do imóvel e fazer contato direto com os interessados. A grande vantagem é que, anunciando pelo app, automaticamente e gratuitamente o anúncio é replicado em outros sites de imóveis, como Vivareal, Imovelweb, OLX e MercadoLivre. Ainda, há a opção de adicionar o imóvel no Zap Imóveis, Facebook, Instagram ou Google por uma pequena taxa, paga no cartão ou boleto”, conta Felipe.

Com atuação em todo o Brasil, com destaque para Rio de Janeiro e São Paulo, a empresa realizou, nos últimos 12 meses, um total de 400 transações pela plataforma, sendo a maioria venda de imóveis. A meta é chegar a 100 mil anunciantes até final de 2021.

“No nosso modelo 100% digital é o proprietário que realiza a negociação diretamente com os interessados. Com isso, ele ganha independência e acaba economizando bastante por não precisar pagar a comissão, que nos concorrentes pode chegar a 5-6%. A intenção é que os processos de venda e locação fiquem mais rápidos, fáceis e econômicos. Durante a pandemia, continuamos vendendo, já que os proprietários conseguiam se comunicar diretamente com os interessados. Nenhuma outra startup oferece isso no mercado. Geralmente, oferecem barreiras ou algum tipo de filtro nas informações”, afirma Felipe.

Imóvel como garantia

O empréstimo com imóvel como garantia é uma modalidade muito conhecida e usada nos Estados Unidos, na Europa e na Ásia. No Brasil, ela está começando a crescer. “Uma estimativa é que, hoje, esta modalidade represente 2% do PIB, e grandes economistas projetam um aumento para 12% do PIB. É um crescimento alto e significativo. Muitos bancos estão aportando capital para esta linha de crédito, e outras financeiras estão recebendo dinheiro do exterior para, cada vez mais, viabilizar a modalidade para proprietários de imóveis no país. Na Livima, temos uma demanda atual de uma média de 10 pedidos por dia, totalizando mais de 1 milhão em valores solicitados diariamente”, conta.

Segundo ele, a grande vantagem deste crédito é que oferece empréstimo com taxa de juros baixas e prazos longos. Isso ajuda muito a saúde financeira do proprietário, já que é possível conseguir um valor maior de empréstimo com parcela pequena, sem onerar muito as despesas mensais.

“Esta linha de crédito também leva em consideração negativados, ou quem possui dívidas. Se chama de refinanciamento de dívidas, você troca uma dívida cara por uma mais barata. Esta linha também tem ajudado muitos empresários, principalmente micro, pequenos e médios empreendedores a conseguirem capital para sua empresa”, conclui o CEO.