A Amazon anunciou hoje a expansão das operações no Brasil com um novo centro de distribuição em Cajamar, na Grande São Paulo. Trata-se do quinto centro logístico da Amazon no Brasil, e o maior, com mais de 100 mil metros quadrados.

O novo centro de distribuição oferece capacidade adicional para a Amazon no Brasil – país com o crescimento mais rápido em assinaturas Amazon Prime a partir do lançamento – e gera milhares de empregos diretos e indiretos. A Amazon agora oferece cerca de 30 milhões de produtos em mais de 30 categorias que incluem uma ampla variedade de itens de pequenas e médias empresas no Brasil.

“A Amazon está animada em expandir nossas operações de logística na região de São Paulo, gerando empregos adicionais à comunidade e aumentando nossa capacidade para lidar com o crescimento extraordinário que temos registrado no Brasil”, diz o gerente da Amazon no Brasil, Alex Szapiro. “Nosso novo centro de distribuição em Cajamar nos permite continuar a fornecer serviço excepcional para os clientes brasileiros e reflete os investimentos contínuos da Amazon no país”.

O novo CD tem mais de 100 mil metros quadrados e é o quarto da empresa na cidade da Grande São Paulo. Há também um centro de distribuição em Cabo Santo Agostinho, no estado de Pernambuco, lançado em novembro de 2019 para oferecer entregas ainda mais rápidas na região Nordeste do Brasil. No novo centro de Cajamar, colaboradores ajudam a receber, embalar e despachar desde itens para casa, eletrônicos e brinquedos, até itens maiores como produtos de limpeza,  TVs  e equipamentos para prática de esportes.

“A segurança dos nossos colaboradores e clientes é nossa prioridade”, diz Szapiro. “Em toda a estrutura de operações implementamos mais de 150 melhorias para ajudar a manter os funcionários seguros.  Seguimos todas as regras e guias de segurança, distanciamento social e higienização, e oferecemos continuamente recursos e informações educacionais para garantir a segurança dos colaboradores”.

Projeto Zero

Em agosto, a Amazon também anunciou o Projeto Zero que tem como objetivo identificar produtos falsificados em sua plataforma. Além do Brasil, outros seis países também serão contemplados: Austrália, Holanda, Arábia Saudita, Cingapura, Turquia e Emirados Árabes Unidos, totalizando 17 nações onde a empresa possui uma unidade.

Com proteções automatizadas da Amazon que examinam de forma proativa e contínua mais de 5 bilhões de tentativas de atualizações diárias de listas de produtos em todo o mundo para procurar por aquelas que são suspeitas, ferramenta de autoatendimento para remoção de falsificações e serialização do produto, a empresa consegue usar tecnologia para detectar as falsificações de seus produtos.

“A expansão do Projeto Zero da Amazon reforça a proteção de nossas marcas e clientes em nossas lojas em todo o mundo. Estamos entusiasmados com os benefícios que as marcas já viram”, afirmou Dharmesh Mehta, líder da Customer Trust and Partner Support (CTPS) da Amazon.