A gestora digital Magnetis anunciou hoje a captação de R$ 60 milhões em sua série B de investimentos, liderada pelo fundo de venture capital Redpoint eventures, com a participação de Vostok Emerging Finance.

“Estamos muito felizes com o voto de confiança dos nossos investidores. Isso só reforça a credibilidade do nosso serviço e do nosso modelo de negócios, que usa tecnologia para gestão objetiva de investimentos, sem conflito de interesses”, afirma Luciano Tavares, fundador e CEO da Magnetis.

Segundo ele, o aporte será usado no desenvolvimento de novas funcionalidades para aprimorar a experiência do cliente, oferecendo uma jornada completa através do investimento com base em objetivos e no lançamento de uma corretora própria. Criada em 2015, a Magnetis já montou mais de 350 mil planos de investimentos e tem mais de R$ 430 milhões sob gestão. O objetivo da fintech é acelerar o crescimento e atingir R$ 1 bilhão de ativos sob gestão nos próximos 12 meses.

“Hoje, o mercado brasileiro está se sofisticando, com queda forte na dependência da renda fixa e oferecendo mais ativos financeiros. Definir um portfólio pessoal é uma ciência, não uma brincadeira ou loteria. O grande diferencial da Magnetis é montar um plano de investimento personalizado, com ativos de primeira linha e alavancando o uso da tecnologia. Estamos muito felizes e animados com essa nova fase da parceria”, destaca Anderson Thees, fundador e sócio diretor da Redpoint eventures.

O anúncio do aporte acontece no mês em que a fintech lança sua própria corretora, que dará suporte à operação na compra e venda de produtos financeiros. No entanto, atuar como uma corretora tradicional está fora dos planos. “Nosso modelo de gestora digital é muito mais completo. Nossa proposta é ser um guia financeiro para os nossos clientes, descomplicando a experiência de investir. A integração com a corretora vem para tornar a jornada do cliente mais simples, integrada e completa”, afirma Luciano.

Diante da ênfase recente no mercado financeiro sobre conflitos de interesse por parte de bancos e corretoras, a fintech se diferencia por adotar o modelo de remuneração fiduciário. “Não recebemos comissões ou rebates nos produtos que recomendamos aos clientes. O processo de seleção de ativos é feito de forma transparente e automatizada, e o cliente paga uma taxa de consultoria anual baseada apenas no valor aplicado, e não conforme os investimentos recomendados. O resultado é a seleção de produtos com alta qualidade e mais alinhados aos objetivos do cliente”, explica Luciano.

“Estamos vendo uma aceleração na adoção do digital globalmente e o impacto disso é particularmente perceptível na gestão de patrimônio. Dentro disso, não encontramos uma oportunidade maior, no mundo em desenvolvimento, do que o Brasil. Estamos muito animados para continuar apoiando o Luciano e a excelente equipe da Magnetis nesta rodada para aproveitar esta oportunidade. Acreditamos que a combinação de um investidor local muito forte, como a Redpoint, e o lançamento da corretora própria dá à Magnetis as ferramentas para continuar sendo pioneira”, afirma Alexis Koumoudos, sócio de investimento na Vostok Emerging Finance.

A operação através da Magnetis Corretora será disponibilizada gradualmente para novos clientes e não substituirá a parceria existente com a corretora Easynvest, que segue como a corretora parceira nas contas dos clientes atuais.