A fintech Conta Simples anunciou esta semana um novo investimento da aceleradora americana YCombinator. O dinheiro do investimento será usado para desenvolvimento de novos produtos. O valor não foi revelado.

A empresa possui uma conta digital PJfeita exclusivamente para startups, e-commerces e empreendedores digitais. Atualmente, a fintech possui mais de 6 mil clientes que têm acesso a emissão e pagamento de boleto, TEDs, saques, ferramentas de gestão financeira e rendimento automático de 100% do CDI. O processo de abertura da conta também é feito online pelo site da Conta Simples. 

“Ajudamos empresas a gerenciar as despesas online através de uma solução de múltiplos cartões corporativos, além de uma oferecer uma solução completa de conta”, afirma Rodrigo Tognini, CEO e cofundador da Conta Simples.

A ideia da fintech surgiu a partir de experiências negativas como experiência de uso, atendimento e burocracia que Rodrigo e os outros fundadores da Conta Simples tiveram. “A oportunidade que a gente enxergou foi que muitas outras startups e PMEs estavam sofrendo com essas mesmas dores. Esse é um público que tem dores específicas, como conciliação bancária, gestão de pagamento, folha de pagamento, diferentes formas de recebíveis. Vimos que nenhum banco, tradicional ou digital, estava focando em resolver essas dores através da conta bancária”, diz.

Ele também revela que a inspiração para a fintech foi a startup Brex, que oferece um serviço de cartão de crédito para pequenas e médias empresas, fundada pelos brasileiros Pedro Franceschi e Henrique Dubugras nos Estados Unidos. Lançado em 2018, a empresa americana também recebeu investimento da YCombinator.

“Conhecemos os fundadores da Brex ainda da época de pagar.me e sempre acompanhamos a evolução do negócio lá fora. Quando olhamos para o Brasil vimos que aqui tinha a mesma dor e resolvemos começar o negócio”, relembra o empreendedor.

Conta Simples

Rodrigo Tongini, Fernando Santos e Ricardo Gottschalk, fundadores da Conta Simples. Foto: Divulgação

Sobre o atual momento, Rodrigo diz que a pandemia tem afetado muitos PMEs e que a Conta Simples está atuando para ajudá-los através de parcerias e conteúdos exclusivos. “Sabemos que eles já sofreram muito com as soluções tradicionais, e sabemos também que eles possuem atividades extremamente específicas (conciliação bancária, folha de pagamento, diferentes formas de receita, fluxo de caixa). Até agora ninguém tinha feito uma solução pensando neles e que ajudassem essas atividades. Nós chegamos para isso”, destaca.

A Conta Simples foi fundada em 2019 por Rodrigo, Fernando Santos e Ricardo Gottschalk e teve o apoio de investidores-anjos como Rodrigo Dantas, CEO da Vindi; Diego Gomes, CEO da RockContent; Bernardo Lustosa, CEO da Clearsale; Dorival Dourado (ex-Serasa e Boa Vista) e do fundo FEA Angels.

O aporte será usado no desenvolvimento de novos produtos. Rodrigo conta a Conta Simples já começa a trabalhar em novas soluções como um produto de crédito, que deve ser lançado em breve, além de inovações relacionadas ao novo sistema de pagamento do Banco Central, PIX. A expectativa da fintech é se tornar a principal solução financeira para startups e PMEs nos próximos anos.