A Cortex, empresa especializada em Growth Intelligence, anunciou uma nova rodada de investimento, série B, liderada pelo Softbank. Participaram também da rodada os fundos de venture capital Redpoint eventures e Endeavor Catalyst, totalizando um investimento de R$ 120 milhões.

É o primeiro aporte do fundo japonês em empresas de inteligência de dados na América Latina.

Mesmo em meio ao cenário adverso em função da covid-19, o fundo do Softbank para a América Latina, Innovation Fund, segue firme apostando na região. Responsável pelos mais significativos investimentos em empresas de tecnologia do país, com participação em empresas como Loggi, Rappi, Quinto Andar e Gympass, o Softbank escolhe agora a Cortex como aposta para liderar o setor de Inteligência de Dados e Big Data na América Latina.

“As soluções de inteligência de dados e Big Data são indispensáveis e desempenham um papel relevante no desenvolvimento do ecossistema de inovação na América Latina”, disse Marcelo Claure, CEO do Grupo SoftBank Internacional. “Estamos entusiasmados com nossa parceria com a Cortex, que tem a grande oportunidade de ajudar empresas em toda a região”, complementou.

Através de sua plataforma SaaS de Big Data Analytics, a Cortex provê soluções de inteligência para áreas de Comunicação, Marketing e Vendas de grandes empresas da América Latina. Tem em sua carteira de clientes os principais players das mais diferentes indústrias da região, como Unilever, Fiat Chrysler (FCA), L’Oreal, Roche, Carrefour, Visa, Claro, entre outros.

Suas soluções de inteligência são capazes de capturar informações externas de mercado, estruturadas ou não, cruzar com dados internos de performance do cliente, gerar previsões, recomendações, e disponibilizar verdadeiros cockpits para tomada de decisão.

“Há algum tempo estamos analisando os principais players desse segmento na América Latina e acreditamos que a Cortex está muito bem posicionada para se consolidar como líder do setor”, revela Paulo Passoni, Managing Investment Partner do Softbank.

A nova injeção de capital tem como objetivo reforçar o investimento em produto, que já vem sendo realizado desde a entrada da Redpoint eventures, e acelerar ainda mais o crescimento da empresa, expandindo os times de marketing, vendas e customer success.

“A Cortex está entre as empresas do nosso portfólio que possui as melhores métricas de Software as a Service (SaaS), e está muito bem posicionada para uma jornada de crescimento acelerado”, afirma Rodrigo Baer, Sócio da Redpoint eventures.

Fundada no Rio de Janeiro pelos sócios Daniel Pires e Leonardo Rangel, a Cortex conta com escritórios no Rio e São Paulo. Os clientes da empresa se concentram principalmente no Brasil, mas a companhia atende também a empresas em outros países da América Latina e Europa. Nos últimos anos, o Cortex PR, solução voltada para a gestão de comunicação corporativa, apresentou um rápido crescimento no Brasil e redesenhou várias abordagens do setor, acelerando a corrida em direção à inteligência de dados.

“Com essa nova injeção de capital estaremos mais fortes para continuar crescendo e perseguindo o propósito de disseminar a cultura analítica no país através de nossas soluções de inteligência de dados. Teremos ainda mais disponibilidade de capital para investir em nossa flexível plataforma de soluções de negócios e adequá-la às necessidades de nossos clientes”; conta o fundador e Chief of Customer Growth Daniel Pires.

Um exemplo da flexibilidade da plataforma está na velocidade com que a empresa adaptou – logo no início da pandemia de covid-19 – uma de suas soluções de inteligência para comunicação. Em apenas poucos dias, o produto foi ajustado às novas necessidades dos clientes, angariou dezenas de grandes empresas como usuárias e permitiu aumentar vendas da Cortex para esse mercado durante o período de crise.

Na frente de inteligência comercial, a solução CortexMI se destaca por unir a facilidade para integrar fontes de dados de varejistas e fabricantes com algoritmos de ciência de dados, resultando em soluções inovadoras para gestão de sell-out e forecast.

“Temos um ótimo produto e uma oportunidade de mercado clara a ser explorada. Mas, para fazer isso na velocidade que queremos, os desafios são muitos, e não são apenas financeiros. Além de capital, buscamos parceiros capazes de aportar know-how, apoio operacional e conexão a outros mercados. Escolhemos o Softbank por isso. Além de ser o principal fundo atuante na América Latina, tem musculatura e alcance global para nos ajudar nessa jornada” nos conta o fundador e CEO Leonardo Rangel.

Segundo Leonardo, o novo aporte deve focar em três pilares:

– Produto e tecnologia, expandindo os times de engenharia, inteligência artificial e gestão de produto da empresa;

– Evolução e ampliação dos casos de uso da plataforma da Cortex – com atenção especial às novas necessidades dos clientes que surgem por conta do atual cenário de crise;

– E aceleração do crescimento da empresa, seja orgânico – expandindo os times de marketing, vendas e customer success – ou inorgânico – passando pela análise de possíveis parcerias e aquisições com outros players de dados e soluções que complementem o portfólio da Cortex.