A Remessa Online, plataforma brasileira de transferências internacionais que vem expandindo sua atuação e mudando o setor no país, acaba de concluir uma nova rodada de investimentos no valor que equivale a R$ 110 milhões. A operação foi liderada pela Kaszek Ventures, um dos maiores fundos de venture capital da América Latina, e Kevin Efrusy, sócio do renomado fundo americano Accel, investidor pioneiro do Facebook, com participação da Bewater Ventures.

Com o investimento, o executivo Hernan Kazah, cofundador do Mercado Livre e da Kaszek Ventures, se junta ao conselho da fintech, que já conta com outros nomes de peso do ecossistema de startups como André Penha, cofundador do Quinto Andar, e o experiente Fabio Armaganijan, partner da Bewater ventures e ex-COO da Kraft Heinz USA.

A empresa, que soma mais de R$ 10 bilhões transacionados desde sua criação em 2016, planeja, após o aporte, acelerar o negócio e investir em novas tecnologias e serviços financeiros voltados principalmente para as pequenas e médias empresas. O objetivo é ajudar na internacionalização desse segmento, com foco no atendimento de empresas que já prestam serviços para o exterior, empresas com gastos e custos em outras moedas ou até mesmo empresas que estejam em processo de captação de recursos.

“Queremos criar oportunidades para as pequenas e médias empresas expandirem suas fronteiras para o mercado internacional. A ideia é apoiar principalmente a exportação de serviços, entre outras necessidades de pagamentos globais, com uma proposta muito clara, baseada em três pilares: menor custo de operação, processos digitais e escaláveis além  da equipe dedicada e com expertise”, comenta Alexandre Liuzzi, cofundador e diretor de Estratégia da Remessa Online.

A Remessa Online tem dobrado de tamanho a cada semestre desde o começo de sua operação comercial. Em 2019 expandiu sua solução de transferência internacional instantânea de dinheiro para Reino Unido e Europa, além de ter lançado a aprovação automática de envio para investimento e pagamento de curso no exterior, possibilitando a brasileiros pagarem educação ou alugarem casas no exterior sem a necessidade de documentação. Os clientes podem também, de posse de um IBAN pessoal, receber dinheiro proveniente de nove moedas diferentes.

Em maio deste ano, ampliou sua expansão na América Latina, lançando os corredores de Argentina e Chile. Com isso, os clientes podem agora enviar dinheiro para esses países direto para a moeda local.

“A Kaszek traz todo o know-how que alavancou startups brasileiras que revolucionaram seus mercados, a exemplo de NuBank e Quinto Andar. A chegada desse importante investidor adiciona ainda mais robustez à nossa operação, permitindo nosso crescimento sustentável e viabilizando nossa missão de transformar o mercado de transferências internacionais, principalmente para as pequenas e médias empresas”, diz Alexandre Liuzzi.

O executivo reforça ainda que, mesmo seguindo todas as obrigações regulatórias e tributárias, consegue operar com boa saúde financeira. “Somos uma empresa brasileira, entendemos as dores do nosso cliente, pois já vivemos isso na pele. Além disso, buscamos sempre ser mais competitivos, oferecendo as menores taxas porém de acordo com as melhores práticas do mercado”, afirma Liuzzi.

Segundo Hernan Kazah, a Kaszek Ventures está sempre em busca de grandes empreendedores que solucionem ineficiências do mercado e melhorem a vida das pessoas. Com uma equipe brilhante por trás, a Remessa Online chamou a atenção do fundo por focar num nicho de mercado ainda mal atendido, trazendo uma plataforma inovadora com soluções de alto nível para clientes finais e pequenas e médias empresas. “A crise atual está acelerando a digitalização de diversos setores ao redor do mundo e a Remessa Online surge na dianteira desse movimento, transformando e revolucionando o mercado de transferências internacionais no Brasil, especialmente para as PMEs”, afirma Kazah.

Foco em pequenas e médias empresas

A Remessa Online foi a primeira plataforma do tipo (totalmente online) a oferecer transferência internacional para pessoa jurídica (PJ) no país. A ideia surgiu tanto da percepção de que este segmento hoje não é priorizado pelas instituições financeiras tradicionais, quanto para endereçar uma solicitação da base de clientes da fintech. Hoje, aproximadamente 50% dos clientes pessoa física (PF) da Remessa Online é também dono ou sócio de pelo menos uma empresa.

Além de realizar transações de recebimento de dinheiro por serviços prestados no exterior, e a efetuar pagamentos de despesas no exterior, a Remessa Online também auxilia startups a trazerem ao Brasil aportes de capital internacional, como essa própria operação que está anunciando agora.

Trajetória

Fundada em 2016, a Remessa Online nasceu da veia empreendedora de Fernando Pavani (atual CEO) e Alexandre Liuzzi, que se conheceram no surf e acabaram virando amigos. Economistas por formação, eles tinham experiência de mais de dez anos no mercado financeiro e um conhecimento amplo não só do setor de tecnologia, mas também dos gargalos ainda existentes nos serviços financeiros do país. Daí a criação de uma plataforma rápida, segura e barata, que facilitasse as remessas internacionais agregando tecnologia e entendendo as oportunidades globais que todos podem ter. Juntos, com Stefano Milo e Márcio William, eles então criaram uma solução online de transferências internacionais que conecta empresas e indivíduos com o resto do mundo de uma forma simples.

O primeiro aporte aconteceu no segundo ano de operação, em 2017, por Marcelo Maisonnave (cofundador da XP Investimentos). Na época, o investimento foi usado para aprimorar a plataforma e estruturar a equipe.

Em 2018, a empresa fez um Series A de aproximadamente R$ 20 milhões com o Global Founders Capital junto com a MAR ventures, o que possibilitou investimento em uma infraestrutura proprietária que faz o  processamento de pagamentos local e internacional, sistema integrado de compliance e demais processos necessários para transferência internacional.

Em 2019, a Remessa Online viu a oportunidade de expandir para o segmento de pequenas e médias empresas e acelerou os investimentos no desenvolvimento da plataforma online para as PMEs. O sucesso nesse novo segmento trouxe a oportunidade para fazer mais essa captação, com objetivo de proporcionar a mesma experiência da plataforma para pessoas físicas, que conta hoje com NPS 91 (Net Promoted Score, índice que reflete a satisfação do cliente), para a nova plataforma que atende as pequenas e médias empresas.

Entre os programas de aceleração e mentoria por qual a empresa já passou, vale destacar o Endeavor Scale Up Fintech, programa de aceleração focado em empresas de base tecnológica com atuação no setor financeiro com alto potencial de crescimento, do qual já participaram fintechs como Neon e Creditas.

Em 2019, a Remessa Online foi a primeira fintech a firmar parceria com a Ripple no país, o que permitiu acelerar o processo de transferência, pois a conexão entre instituições é direta, mais rápida e rastreável.  Minimizando o uso da rede SWIFT, é possível baratear e também agilizar o processo como um todo, sempre com segurança nas transações.