B2B e B2C são termos muito utilizados no mundo dos negócios e a principal diferença nas operações é o cliente final. No B2B, que em inglês significa Business to Business, o cliente normalmente é outra empresa, comprando para seu consumo, para revenda ou como insumo para sua cadeia produtiva. Já no B2C, Business to Consumer, a operação é focada no cliente final, normalmente pessoa física, como funcionam as operações tradicionais de varejo.

A DOMO Invest, uma das principais gestoras de Venture Capital no Brasil, que investe em empreendedores disruptivos e inovadores, criou um fundo exclusivo para investir em startups B2B.

Chamado de Domo Enterprise, ele foca em startups que fazem parte da transformação digital de grandes empresas e em soluções como SAAS, IOT, IA e Software. O fundo tem o objetivo de captar entre R$ 150 e R$ 200 milhões, sendo que 40% do volume será destinado para a montagem do portfólio e 60% ao follow-on nas investidas. O fundo também planeja um investimento inicial entre R$ 3 milhões e R$ 5 milhões por startup.

Em entrevista ao Startupi, Marcello Gonçalves, sócio-fundador da DOMO Invest e gestor do fundo DOMO Enterprise, conta que em torno de 40% do dealflow do fundo já era formado por startups B2B. A Domo invest também foi selecionada pelo BNDES para ser a gestorora do Fundo Anjo, um Fundo de Investimento em Participações, o que segundo Marcello, fará com que esse dealflow qualificado aumente.

“A ideia foi se desenhando para nós e ao identificarmos a oportunidade, passamos a buscar um novo gestor com experiência no mundo B2B e tivemos a felicidade de encontrar o Cesar Pinella, um empreendedor com múltiplas saídas em B2B como Mastersaf, Bysoft e Taxweb, que se juntou a ao time em 2019”.

Marcello Gonçalves, gestor do fundo DOMO Enterprise.

Para Marcello um dos grandes desafios das startups B2B é a aceitação por parte das grandes empresas em adotar as soluções criadas por pequenas startups. Mesmo diante disso, é possível ver, cada vez mais, corporações criando sandboxes, programas de inovação e investimento em fundos de venture capital para acelerarem esse processo.

“O Domo Enterprise busca startups que resolvam problemas complexos de forma simples através da tecnologia, com um excelente time de founders e um grande mercado a conquistar. Temos 2 term-sheets assinados em diligência que esperamos poder anunciar em um futuro próximo. O mercado de tecnologia vem em uma crescente já a alguns anos e a necessidade de ganho de produtividade das empresas vai acelerar através da adoção de tecnologia. Esperamos que mesmo com o covid-19 o volume de investimentos seja alto”, finaliza.