* Por João Kepler

Na contramão do momento crítico em que o mundo está inserido em função da pandemia do coronavírus, os investimentos em startups estão a todo vapor mesmo com alguma retração por parte de alguns investidores mais impactados e com perspectivas negativas, é o que mostram os dados do mercado de Venture Capital (VC) no Brasil.

Em um estudo mensal divulgado que tem como objetivo acompanhar a evolução dos investimentos no Brasil chamado Inside Venture Capital Brasil, ficou claro a evolução, bem como otimismo fundamental para enfrentarmos o que estamos passando apostando em novas soluções e ideias.

Em relação a evolução do volume investido e número de investimentos realizados no primeiro quadrimestre do ano (janeiro a abril), o volume investido no período foi 20% superior ao mesmo período em 2019, enquanto o número de deals ficou praticamente estável no período.

img1

Ainda usando o mês de abril como base e referência, o volume investido neste mês em 2020 foi 118% superior a abril de 2019, enquanto o número de deals também se manteve estável. Possivelmente não será possível mapear todos os aportes a tempo, mas este número deve subir ainda mais nos próximos 30 dias. A fonte que disponibilizou estes números é o Distrito Dataminer, unidade de inteligência de mercado baseada em dados do Distrito.

Observação importante é que os investimentos realizados/aportados em abril são frutos de análises e diligências em meses anteriores. De fato, as escolhas e análises de startups realizadas agora no mês de abril serão refletidas nos aportes (cheques que serão emitidos) nos meses posteriores. Porém, a pesquisa espelha sim a realidade porque os aportes poderiam ter sido adiados e não investidos por conta do coronavírus no meses de março e abril e, efetivamente não foram postergados. De qualquer forma, teremos uma melhor noção desses reflexos nos meses seguintes. Vamos acompanhar!

E não é difícil explicar o porquê deste aumento considerável em um período de crise, afinal, vale ressaltar que as startups possuem negócios mais resilientes em momentos de incertezas. Além disso, existem vários fundamentos que impulsionam os investimentos nessa classe de ativos nesse momento como tenho mostrado nas minhas últimas publicações.

Ativos de capital intangível tendem a apresentar performance melhor em momentos de crise, sem contar que o ciclo e jornada de uma startup (do zero ao bilhão) é de, em média, 8 anos. Ou seja, os investidores entendem que a crise logo vai passar e estão aproveitando este momento para entrar em boas oportunidades.

Ao pensar ainda que, no geral, são negócios de alta aderência a conexões, integrações, adaptações ao mercado e de baixo endividamento, baixo custo e alta performance, as startups já estavam adaptadas a trabalhar em home office, por exemplo, e a lidar com equipes reduzidas, orçamento mensal enxuto, entre outras características. E é claro, que com a infinidade de problemas que estamos tendo que enfrentar neste período de pandemia mundial, não param de surgir soluções voltadas ao combate a crise e à covid-19.

Além desses números sobre Brasil, a LAVCA — Associação de investimentos na América Latina, publicou essa semana seu mais recente report [LAVCA’s Annual Review of Tech Investment in Latin America] que mostra claramente que o investimento em startups multiplicou no ano de 2019 para US$ 4.6 bilhões.

E o Brasil continua sendo o maior mercado com US$ 2.49 bilhões em investimentos em startups.

No Brasil são inúmeros casas de investimentos em capital de riscos, na Bossa Nova Investimentos temos orgulho ser uma das mais atuantes do setor focado no estágio pré-seed e Early Stage.

Então, a grande mensagem que fica neste artigo é que para aqueles que ainda não se deram conta, é o momento de investir em startups. Os números estão aí, as pesquisas não param de acontecer justamente para mostrar que não se trata de achismo ou predileção de ninguém, mas de dados que podem ser acessados por qualquer um que esteja interessado em entender melhor o cenário e as possibilidades.

Minha dica neste momento é que caso você ainda tenha dúvida sobre investir ou não em startups, recorra a estes dados. Aliás recentemente já divulguei outras pesquisas que apontam para o mesmo rumo e foram realizadas por outras fontes. Não tenha medo de investir em startups por falta de conhecimento, inúmeras oportunidades estão no mercado e o aumento no número de investimentos só demonstra que é a hora de aproveitá-las.


joãokeplerJoão Kepler é reconhecido como um dos conferencistas mais sintonizados com Inovação e Convergência Digital do Brasil. É especialista em empreendedorismo, startups, marketing e vendas, é investidor-anjo desde 2008, participa em mais de 100 Startups, Lead Partner da Bossa Nova Investimentos, Escritor e autor e coautor dos Livros O vendedor na Era Digital, Vendas & Atendimento, Gigantes das Vendas e Educando Filhos para Empreender; Premiado como um dos maiores Incentivadores do Ecossistema Empreendedor Brasileiro.