* Por Jéssica Lima

O ano de 2021 trouxe recorde de investimentos para o ecossistema de startups, mas, no meio de 2022, muitos investidores analisam que esse cenário não irá se repetir com a mesma intensidade. 

Isso só significa mais cautela e necessidade de olhar com mais atenção para as tendências. E, se olharmos para como se deu a distribuição dos investimentos no último ano, podemos identificar quais as tendências que estarão na mira dos investidores nos próximos meses.

Segundo o último report de investimentos lançado pela Abstartups (Associação Brasileira de Startups) em parceria com a BR Angels, os segmentos que captaram mais foram as Fintechs, Healthtechs, Edtech, Agtechs e Cleantechs. A atenção ainda está voltada para essas startups, mas também devemos ficar atentos aos segmentos de  Govtech, Proptech e Retailtech, mercados que demonstraram um crescimento do último ano e podem ser grandes apostas para o segundo semestre de 2022.

Mas mesmo para startups que não se enquadram nesses segmentos, há três letras que não devem ser deixadas de lado: ESG. A sigla em inglês para Environmental (Meio-ambiente), Social (Social) e Governance (Governança) já vem sendo citada como tendência há algum tempo e ao que tudo indica ela veio para ficar. Startups que se preocupam com ESG em seu gerenciamento corporativo serão vistas mais positivamente nos próximos anos. 

Ainda há um outro ponto que chama a atenção no report, a região nordeste ficou em 3º lugar no mapa das startups investidas, representando 12,1% dessas empresas. O Sudeste e Sul ainda aparecem primeiro nessa lista, mas isso pode ser um sinal de que os agentes do ecossistema estão cada vez mais atentos às soluções criativas fora do eixo Sul-Sudeste. Essa é a evolução que esperamos ver nos próximos anos, afinal quanto mais diversas forem as soluções desenvolvidas internamente, mais forte será o ecossistema de inovação brasileiro e isso só é possível se olharmos para os problemas que estão sendo solucionados nas mais variadas frentes de atuação.


Jessica Jéssica Lima é formada em publicidade e propaganda, e somou sua paixão por escrever com outras habilidades para mergulhar no universo do marketing digital. Faz parte do time de marketing da  Associação Brasileira de Startups (Abstartups), ajudando a divulgar histórias de inovação de todo o País.