Um estudo da Triider, baseado na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua, mostra que, nas últimas três décadas, foram construídos 7,8 milhões de novos apartamentos no Brasil. Esse mercado não se expande apenas geograficamente: estima-se que condomínios movimentam cerca de R$ 165 bilhões por ano e ao todo existem mais de 10 milhões apartamentos no País.

Pedro Cavalcante é um empreendedor manauara que encontrou uma dor neste mercado e, a partir dela, lançou a Communy em 2017. O objetivo de Pedro, ao criar a multiplataforma, foi focar no sistema de gerenciamento dos condomínios em Manaus, já que a gestão desses edifícios era muito engessada, o que dificultava a comunicação entre os gestores, síndicos, funcionários e moradores do local. 

Visando resolver esse problema, a startup possui uma plataforma que possibilita ao gestor de condomínio ter um amplo e melhor acesso a gestão do edifício, no qual ele consegue mandar comunicados, fazer enquete, assembleia virtual, e ficar por dentro da situação financeira do local. Além disso, a startup também possui um aplicativo disponibilizado aos moradores para que possam acompanhar o acesso da portaria, ou seja, quem são as pessoas que possuem livre acesso, quem são os moradores do condomínio, quem entrou e saiu, entre outras funcionalidades.

De acordo com Pedro Calvalcante, fundador e CEO da Communy, ela se diferencia de outras startups que atuam no setor porque a plataforma consegue gerenciar também os inquilinos dos proprietários do condomínio. “O proprietário consegue gerenciar tanto o que ele pode quanto o que não pode ver. Por exemplo, se ele coloca uma propriedade para alugar, estamos cientes dos termos de contrato assinado, ou seja, ele não fica dependendo de uma administradora para fazer a gestão das suas unidades.”

A startup já participou de dois programas de incubação. O primeiro deles foi da Uninorte, universidade privada que investe em startups para facilitar a pós-graduação dos seus alunos. “Participar do programa foi muito interessante para nós, ficamos seis meses trocando experiências sobre o mercado de empreendedorismo, investimento-anjo, e outras áreas de inovação”, comenta o CEO. Já o segundo programa foi o  Idexo da Totvs, que também durou seis meses de imersão em São Paulo. Ele conta sobre a experiência: “como a startup já estava em funcionamento, foi um pouco complicado ter que me ausentar um pouco da operação. Mas essa oportunidade foi de grande valia, pois foi lá que surgiu o nosso módulo financeiro, resultado do contato que tivemos com vários players”. 

A startup, que está presente nos estados do Norte e Nordeste e em São Paulo, recebeu um aporte no valor de R$ 400 mil da Bossanova Investimentos e investiu 80% dos recursos adquiridos na capacitação e contratação de pessoas, e 20% em marketing e publicidade para expansão nacional. Agora, a Communy pretende concluir mais uma rodada de investimentos no próximo mês para fortalecer a marca nas regiões onde já atua e expandir os seus serviços para outros estados. “Nosso principal objetivo no momento é conhecer mais a forma como cada canto do nosso país trata a gestão de condomínio para, assim, aumentarmos a nossa base de cobertura e nos consolidamos no mercado”, finaliza.