A Maya Capital, empresa investidora focada em startups early-stage, anunciou o lançamento de seu segundo fundo de mais de R$ 500 milhões (US$ 100 milhões). O capital será utilizado para liderar a primeira rodada e apoiar o crescimento de startups de tecnologia na região. O investimento agora chega para complementar o montante separado pela Maya para investir nas startups que estão no início de suas jornadas, totalizando mais de R$ 700 milhões sob gestão.  

Com o lançamento do novo fundo, a Maya focará ainda mais em liderar o primeiro cheque institucional nos melhores times da América Latina, com um apoio mão-na-massa para essas companhias em sua fase de crescimento. “Nós somos agnósticas a setor e com foco em toda América Latina, mas não temos uma estratégia spray and pray. Nós investimos com convicção e vamos selecionar 25-30 companhias para compor o portfolio do nosso segundo fundo e seremos mão-na-massa para apoiar essas companhias em seu crescimento”, menciona Lara Lemann, cofundadora e managing partner do fundo.

Em seu primeiro fundo, lançado em 2018 por Lara Lemann e Monica Saggioro, MAYA Capital captou R$ 200 milhões e investiu em 29 startups, localizadas em diferentes países da América Latina (Brasil, México, Colombia e Chile), e distribuídas em 12 setores distintos. Dentre elas, estão inclusos seus dois unicórnios, NotCo e Merama. Os Mayans, nome dado às empresas do portfolio, já são compostos por mais de 100 fundadores e 6 mil colaboradores.

Para apoiar os empreendedores, a gestora foca em três pilares: contratação de talentos (para isso, a Maya construiu uma extensa e poderosa rede de talentos), estratégia comercial e fundraising. Apenas no ano passado, as sócias comentaram que fizeram diversas “game- changing intros”, como mais 400 indicações de talentos as empresas do portfólio, 200 conexões comerciais e 250 introduções para investidores estratégicos. Alguns exemplos bem- sucedidos dessas apresentações foram a introdução da NotCo ao Starbucks (que resultou em uma parceria no mercado Norte Americano) e a apresentação dos founders da Merama.

“Muitos investidores falam sobre isso, mas o time da Maya realmente atua como parceiro, ao invés de ter sua própria agenda. Apesar de serem extremamente conectadas e terem em seu portfolio diversas companhias high profile para apoiarem, elas conseguem ser extremamente responsivas e úteis em diversos níveis: desde auxiliando no contato de candidatos, como também pensando na estratégia e nos preparando para rodadas subsequentes”, comentou Sujay Tyle, CEO e fundador do Merama.


*Foto em destaque: Mônica Saggioro e Lara Lemann, fundadoras da Maya Capital.