Ter um aplicativo próprio de delivery permite a criação de campanhas, cupons de desconto e o gerenciamento exclusivo de uma rede de clientes fiéis e engajados com a marca; enquanto se associar aos aplicativos de entrega é conquistar espaço junto aos grandes, sem muitos esforços publicitários. “Se a sua marca é nova, outro grande benefício é desfrutar dos relatórios, ferramentas de marketing e uma experiência mais personalizada do seu estabelecimento no ambiente online de delivery” – resume o especialista em marketing gastronômico e cofundador da MarketingChef, Paulo Mezallira.

A questão é que esse benefício para os bares e restaurantes tem custado caro para as empresas e o ideal, antes de decidir com qual destas modalidades você quer trabalhar, é preciso estudar e avaliar os prós e contras, ainda mais em um momento em que a Uber Eats anuncia que continuará disponível apenas até dia 7 de março, o que pode sobrecarregar as outras empresas de delivery forçando o estabelecimento a contratar a sua equipe própria de entrega.

“Se por um lado, com uma equipe própria, você não encontrará barreiras ou empecilhos que te impeçam de criar estratégias de inbound marketing e poderá humanizar o contato com os seus clientes; do outro, a responsabilidade de manter o serviço ativo em seu restaurante é totalmente sua” – alerta Mezzalira

Abaixo, o especialista traz uma análise de cada serviço de delivery. Confira e veja qual se adequa mais a sua realidade:

Marketplaces para delivery

Até então, o iFood, Rappi e o UberEats são os responsáveis por concentrar em uma única plataforma vários estabelecimentos para vender seus produtos. As principais características destes aplicativos são: 

Possibilitar uma maior visibilidade do restaurante, já que investem forte em publicidade e propaganda e o estabelecimento se beneficia dessa estratégia de maneira indireta; 

Não necessita de operação de delivery, contrato com motoboys, uma vez que os aplicativos oferecem essa infraestrutura para bares e restaurantes associados;

Os usuários (pessoas físicas) possuem maior facilidade para conhecer e comprar do seu estabelecimento. Basta navegar no aplicativo e escolher por tipo de gastronomia, distância, promoção, entre outras categorias;

Os estabelecimentos repassam comissão por vendas

“Além da facilidade de ser encontrado, o custo e a dificuldade em gerir uma operação de delivery é terceirizada, o que faz com que o empresário foque em outros pontos. O lado negativo é que os clientes não são diretamente, do seu restaurante, mas sim, do aplicativo” – alerta Mezzalira que faz uma outra ressalva: estar conectado aos aplicativos de delivery pagos tem pontos positivos, mas vale ressaltar que a taxa da operação de delivery não é baixa e por isso merece avaliação.

Aplicativo de delivery próprio 

Com relação aos aplicativos de delivery próprio, as chances de reter clientes aumenta, assim como as preocupações e a responsabilidade, uma vez que os entregadores passam a fazer parte da equipe do restaurante.

O cofundador da MarketingChef elenca alguns outros benefícios:

Clientes próprios e exclusivos na sua plataforma. Afinal, quem baixou seu app, realmente é um #foodlover da sua marca;

Sem comissão para terceiros;

Relatórios personalizados para campanhas de marketing com todas as informações dos seus clientes;

Cupons especiais de descontos personalizados.

“Com uma rede de entrega própria, seus esforços em propaganda devem ser maiores e sem previsão de término. Pois no ambiente online, se faz muito necessário investir em conteúdo e patrocínio para aparecer. E aí, que time você vai jogar?” – conclui.