A Tembici, líder em tecnologia para micromobilidade na América Latina, recebeu uma captação de US$ 80 milhões (cerca de R$ 420 milhões), liderado pela Crescera Capital. O valor levantado em Série C será usado para expandir o número de bikes elétricas, aumentar a atuação da empresa em novos países, além de investir em tecnologia e no last mile delivery, nova linha de negócio que será ampliada.

A rodada é composta, em sua maioria, por um investimento em equity na companhia, e uma parte contemplada em estruturas de dívidas emitidas por Itaú e Santander, incluindo dívidas ESG e com selo verde.

Comparado ao período de pré-pandemia, a empresa apresentou um crescimento de mais de 50% na receita, 300% em margem bruta e seu Ebitda se tornou positivo. O resultado é fruto da combinação entre patrocínios, receita de advertising e receita de usuários, em linha com a estratégia de crescimento da empresa.

Para Tomás Martins, CEO e cofundador da Tembici, o novo aporte amplia a oportunidade de mobilidade sustentável nas cidades, que apresenta grande crescimento da indústria e fomentos da bike, além das questões ambientais e sociais envolvendo o modal. “Vamos ampliar os investimentos em tecnologia e dados, consolidar as  bicicletas elétricas e o novo modelo de negócio muito focado na cicloentrega. Além disso, estamos muito animados, porque a rodada vai permitir a expansão do serviço não só para as cidades em que já atuamos, mas novos mercados na América Latina”.

Sobre as e-bikes, Tomás afirma que elas são o futuro da mobilidade e investir neste modal é contribuir diretamente para cidades mais inteligentes e sustentáveis e impactar diretamente na economia financeira, porque os usuários não precisarão usar diferentes transportes para chegar nos destinos. “A e-bike é muito aguardada porque expande a possibilidade de uso diário uma vez que facilita deslocamentos mais longos e com diferentes relevos, exigindo menos esforço de quem pedala. Prova disso é que o número de viagens cresceu 66% comparando janeiro com agosto de 2021”, complementa o executivo.

Em 2020, a empresa anunciou um aporte série B, e R$ 30 milhões já foram investidos em tecnologia, com a expansão da equipe, ações de implantação de GPS na frota, melhorias no app, inserção de e-bikes no sistema e melhorias de processos internos que reduziram em 75% o custo com write off comparado com o resultado de 2019.

“Conhecemos a Tembici no final de 2019 e nos interessamos muito pelo negócio composto por um excelente time de empreendedores e colaboradores que levam a sério a cultura necessária para alavancar uma startup. Outro chamariz, é o modelo baseado em ESG, um ativo que está alinhado à tendência mundial de investimentos mais sustentáveis. Além disso, a empresa vem se posicionando também em tecnologia e tem suas decisões focadas em dados. A Tembici tem tudo para se posicionar como o grande player global no setor de mobilidade urbana e acreditamos no potencial de expansão para outros países”, comenta Fernando Silva, sócio na Crescera.

Foto destaque: Tomás Martins, CEO e cofundador e Mauricio Villar, COO e cofundador da Tembici.


Quer acompanhar de perto todos os investimentos no ecossistema de startups? Siga as redes sociais Startupi e acesse nosso ranking de investimentos do mês.