Startup mineira que ajuda criadores de conteúdo recebe aporte de US$ 1,4 milhão

A startup mineira Lastlink, que ajuda criadores de conteúdo a gerenciarem assinaturas de grupos fechados em redes como Instagram, Telegram e Whatsapp, recebeu um aporte de US$ 1,4 milhão liderado pela Canary.

Fundada por Michel Ank em agosto de 2020, a empresa é dona de um sistema que facilita o trabalho de creators, automatizando a venda e a gestão para o acesso às comunidades exclusivas. É uma fonte de receita cada vez mais comum para o mercado de criadores de conteúdo, que contempla mais de 1 milhão de profissionais em todo o País. Além da Canary, a rodada também contou com a participação do fundo Graph Ventures (de empresas como Enjoei, Houseparty, Loft, Méliuz e VivaReal) e de investidores-anjo estratégicos, como Israel Salmen (CEO da Méliuz), Gustavo Caetano (CEO da SambaTech) e Marcela Rezende (VP de marketing da MadeiraMadeira).

“Com essa rodada, teremos os recursos e o apoio para construir uma solução ainda mais robusta para ajudar os criadores de conteúdo com a gestão de seus grupos, deixando-os mais livres para fazer o que sabem melhor”, diz Michel Ank, fundador e CEO da Lastlink. 

Antes de criar a startup, ele trabalhou na Vale e fundou a empresa de marketing digital Bume. “Também queremos expandir o acesso a grupos como uma forma de monetização para os criadores de conteúdo, uma tendência que vem crescendo no Brasil recentemente, permitindo que muita gente conquiste uma nova fonte de renda pela internet. Temos muitos professores, instrutores de educação física, médicos, advogados e modelos entre os nossos clientes, mas vemos espaço para diferentes pessoas começarem a criar conteúdo e serem remuneradas por ele.” 

Com a rodada, a Lastlink planeja reforçar sua equipe e investir em novos formatos e plataformas, permitindo que os criadores de conteúdo diversifiquem ainda mais suas atividades.  “Começamos com o Instagram em 2020 e já tivemos um bom sucesso; recentemente, também começamos a atuar no Telegram e vimos como o canal é cada vez mais promissor para os criadores de conteúdo. E temos ainda mais novidades chegando aí”, diz Ank. A equipe atualmente já trabalha em testes, com um grupo restrito de usuários, para ajudar os criadores a ter espaços para seus membros também no WhatsApp — a previsão é que o lançamento para o público em geral seja feito até o mês que vem. 

Para Marcos Toledo, sócio da firma de venture capital Canary, “o modelo de negócios e a capacidade de execução que Michel e a Lastlink têm nos chamaram bastante a atenção, em um mercado que guarda muito potencial. Acreditamos que eles têm as ferramentas e o time certos para atacar as oportunidades do setor, ajudando milhares de criadores a conquistar novas formas de receita para seu conteúdo.”

A meta da Lastlink é permitir que mais pessoas consigam vender seu conteúdo de maneira fácil e descomplicada, a partir de plataformas que já são utilizadas por seus seguidores, chamados de membros pela Lastlink. “Antigamente, o creator tinha que vender um acesso a uma pasta, lidar com boletos, administrar pagamento e cobrar seus membros de forma muito analógica, todos os meses. Nós chegamos para mudar esse cenário”, diz Ank. Ao longo de sua história, a Lastlink já ajudou mais de 2,1 mil criadores de conteúdo a terem novas formas de receita, com mais de 550 mil membros alcançados.

O professor de educação física Norton Mello é um deles: com mais de 630 mil seguidores em suas redes abertas, ele passou a usar a solução da startup no segundo semestre  de 2020, para gerir seus grupos fechados no Instagram “Com a Lastlink, fico despreocupado quanto à gestão das atividades e consigo focar meu tempo em criar um conteúdo ainda melhor para os membros da minha comunidade. Além disso, as ferramentas que eles possuem também me auxiliam a ter mais gente treinando comigo todos os dias, com meios de pagamento acessíveis”, diz o treinador.

Como funciona

O criador de conteúdo que quiser usar a Lastlink para administrar suas comunidades não precisará mais do que alguns cliques para se cadastrar. No site oficial da startup, ele pode fazer um cadastro simples. Com o cadastro, o link de seu perfil é criado automaticamente, permitindo ao creator começar suas vendas imediatamente, com diferentes planos. 

Toda a parte de pagamentos, bem como a gestão das contas e até a integração com anúncios no Google e no Facebook é processada pela Lastlink, mas a divulgação ao público cabe ao criador de conteúdo. Ao fazer uma conta, o creator já pode começar a vender, mas a Lastlink se reserva o direito de avaliar se o conteúdo não infringe a lei ou possam ofender/prejudicar terceiros — em caso positivo, o perfil é cancelado. O criador de conteúdo também pode ter acesso a dados sobre seus assinantes e sua divisão em diferentes planos e status, bem como personalizar sua página de vendas, enviar emails transacionais, exportar relatórios e conectar mais canais ao perfil. 

Para o membro, adquirir acesso a uma das comunidades é simples. Para começar, basta ele acessar a página de seu criador de conteúdo favorito na Lastlink. Lá, ele pode conferir os planos e fazer o pagamento, por cartão de crédito ou boleto bancário. A partir daí, cada canal tem um funcionamento diferente.

O membro também pode utilizar seu cadastro da Lastlink para checar a área de membros, onde encontra informações sobre assinaturas e link das comunidades, podendo também editar sua conta e emitir a segunda via de um boleto, caso utilize essa forma de pagamento. 

Para os criadores de conteúdo, o cadastro é gratuito, mas a Lastlink cobra uma comissão para cada venda feita pelo creator — uma comissão de até 9,99%, mais uma taxa que varia de R$ 0,90 no cartão de crédito ou R$ 2,88 no boleto bancário. O PIX também já é uma novidade prometida para o próximo mês. A qualquer momento, ele pode consultar seu saldo total e o saldo disponível para saque dentro da plataforma da Lastlink. Caso o criador de conteúdo ou o membro tenha algum problema com suas transações, a Lastlink conta ainda com um time de atendimento todos os dias da semana, capaz de auxiliá-lo em tarefas como pedidos de reembolso e cancelamentos.

Foto de destaque: Michel Ank, fundador e CEO da Lastlink.


Quer acompanhar de perto todos os investimentos no ecossistema de startups? Siga as redes sociais Startupi e acesse nosso ranking de investimentos do mês.

Mais tradicional portal de mídia brasileiro sobre o mercado de Startups, Inovação, Investimentos, Empreendedorismo e Tecnologia. Desde 2008 vem colaborando para a construção do ecossistema brasileiro de Startups, informando e educando todo o mercado. Quer falar com a gente? Clique aqui e envie uma mensagem para redação, parceria ou comercial. Mantenha-se atualizado sobre as novidades do Startupi pelas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram e Linkedin.

Matérias Relacionadas

No comments yet. You should be kind and add one!

Our apologies, you must be logged in to post a comment.