* Por Christiane Cruz Citrângulo

O ambiente varejista traz desafios constantes para os profissionais da área. Atividades como liderar a operação de uma rede de supermercados já se mostram especialmente desafiadoras, exigindo uma dose extra de energia para serem conduzidas da melhor forma possível. Além disso, o desafio de fazer o que faço se potencializa pelo fato de que sou uma líder mulher: além do ambiente operacional ser majoritariamente masculino, ser mulher e ocupar um cargo de liderança também significa assumir a responsabilidade de abrir portas para outras profissionais mulheres que buscam construir uma carreira no varejo. Digo isso porque, por mais que seja evidente que a mulher já tenha conquistado muitos espaços no mercado de trabalho, ainda há desafios a serem superados – especialmente quando se fala em equidade de gênero na alta liderança de empresas.

O GPA, grupo controlador do Extra e um dos maiores grupos de varejo alimentar da América do Sul, tem acompanhado as discussões sobre o tema e tem implementado importantes medidas relacionadas a ele, o que tem, felizmente, nos trazido resultados concretos. Hoje, 37% dos cargos de gerência e acima são ocupados por mulheres. 

No último ano, temos buscado aumentar a presença feminina em toda a estrutura do Mercado Extra, formato de supermercados da marca Extra, desde gerentes de lojas até líderes de setores. Hoje, 20% dos gerentes regionais e 25% dos cargos de liderança em operações são mulheres e pretendemos aumentar ainda mais esse percentual com ações afirmativas e iniciativas para potencializar a carreira. Para isso, a ideia é sempre considerar as possibilidades de contratação e promoção de profissionais mulheres para atuar nesses cargos. Atuamos com o objetivo de empoderar cada uma delas, visando seu desenvolvimento pessoal e profissional, com uma contribuição efetiva cada mais presente nos resultados da empresa. Afinal, o varejo é feito de resultados minuto a minuto, quase em tempo real, e as mulheres precisam estar presentes e cada vez mais aptas às mais variadas oportunidades de trabalho, contribuindo com o negócio como um todo.

Para liderar um time desse tamanho, com mais de 140 lojas no Brasil, é preciso muita energia e resiliência para acompanhar o ritmo das unidades e tomar decisões importantes para correções de rota ou de aceleração do negócio. Aqui, as metas são altas e desafiadoras e temos a certeza de que as mulheres, e não somente os homens, têm a total capacidade de ter um papel de destaque nessa atividade. Por isso, investimos fortemente em capacitação e treinamentos de sucessão. É necessário desmistificar conceitos, gerar conhecimento sobre um ambiente de trabalho mais diverso, em que se reconheçam as diferenças e o valor da convivência e das ideias provenientes de experiências diferentes. Por isso, é cada vez mais importante que mulheres liderem e sejam modelos profissionais para suas equipes – especialmente na operação do varejo, no dia a dia das lojas, no atendimento ao cliente, no abastecimento da família brasileira, onde os obstáculos são muito desafiadores. As mulheres são as principais shoppers deste país e precisam e devem estar ainda mais presentes na liderança desse segmento.

A ideia é continuar evoluindo na construção de planos de ação em todos os negócios do grupo e especialmente no Mercado Extra, que é liderado por mim. Acredito que o fato de eu ser mulher em um grande cargo de direção seja uma inspiração feminina para as demais colaboradoras que visam crescer dentro da companhia. O objetivo é continuar avaliando as condições, processos e práticas necessárias para viabilizar um ambiente igualitário e meritocrático, sob a ótica da valorização e do respeito às necessidades e características da liderança feminina. Diversidade é fundamental. O GPA acredita nisso e eu também.


ChristianeChristiane Cruz Citrângulo é Diretora de Operações do Mercado Extra, controlado pelo GPA,  mantenedor do Cubo Itaú.