A nuvini, grupo de empresas de Software as a Service (SaaS) criado pelo empresário e investidor Pierre Schurmann, anunciou mais uma aquisição. Dessa vez, a empresa Effecti, startup de Rio do Sul (SC), especializada em desenvolver automação para fornecedores participantes de licitações. Essa é a terceira aquisição divulgada pela nuvini, que planeja anunciar a compra de mais 12 empresas até abril. Já foram anunciadas a leadlovers e Ipê Digital.

Criada em 2013, a Effecti foi fundada pelos empreendedores Fernando Salla e Everton Porath. Ambos trabalhavam em uma empresa catarinense que desenvolve softwares de gestão pública, e decidiram montar o próprio negócio ao perceberem a oportunidade de oferecer soluções para a participação de companhias em licitações públicas. “Essa escolha veio a partir de uma demanda externa que se mostrou uma alternativa para o futuro, vimos que os pregões eletrônicos estavam crescendo e faltava tecnologia para auxiliar os licitantes”, explica Salla, CEO da Effecti.

Atualmente, a Effecti conta com mais de 1,4 mil clientes, entre eles a Johnson&Johnson, Claro e a Cremer, oferecendo uma plataforma unificada com funcionalidades para diferentes partes do processo licitatório, desde o envio de notificações sobre editais abertos, disputa automatizada de lances, preenchimento automático de informações nos portais de licitações, até o sistema de monitoramento de chat do pregoeiro, facilitando a comunicação entre compradores e fornecedores. Somente em 2020, a empresa auxiliou a movimentação de mais de R$ 11 bilhões em valores vencidos pelos clientes na plataforma, em mais de 325 mil itens em pregões eletrônicos, e  coletou cerca de  708 mil editais em cerca de 1.300 portais.

“Com apoio da nuvini, conseguimos fechar o planejamento para os próximos três anos para podermos escalar o negócio  com muito mais força e nos tornarmos a maior referência de mercado no segmento. Já tivemos mentorias com grandes profissionais do mercado, como Aaron Ross e Elton Miranda, que nos ajudaram a incorporar novas práticas de governança para agilizar nosso crescimento”, complementa Salla.

Mais aquisições

Recentemente, a nuvini anunciou a compra da leadlovers, plataforma brasileira referência em Automação de Marketing Digital. Além da Ipê Digital, maior plataforma de sistema de gestão para óticas do Brasil, que possui como principal produto a SsOtica. A ação faz parte dos planos da empresa, que continuará adquirindo empresas de SaaS em 3 verticais de negócios – Marketing e Vendas, Produtividade e Finanças e Controle. O foco são negócios com mais de cinco anos de operação e que faturem entre R$ 20 e R$ 50 milhões. O planejamento até 2025 é realizar 100 aquisições, alcançando R$ 4 bilhões em faturamento e R$ 1 bilhão em Ebitda.

Inédito no Brasil, o modelo adotado pela nuvini permite que os fundadores mantenham uma participação nas startups adquiridas e também se tornem acionistas do grupo. O modelo é inspirado na Constellation Software, grupo canadense com mais de 250 empresas e listado na Bolsa de Toronto.

“Este modelo incentiva que todos os empreendedores foquem no crescimento de seus negócios, já que, ao terem participação no grupo, quando uma startup alcança boa performance, todos os demais ganham. De um lado, trazemos liquidez aos investidores anjo que ajudaram a levantar os negócios em seus primeiros dias e, de outro, continuamos incentivando que os empreendedores fortaleçam suas startups, ganhem maior tração e sigam crescendo”, destaca Schurmann.

Nuvini

Pierre Schurmann, CEO da nuvini.