Startup que reinventa o mercado de bairro recebe aporte de R$ 35 milhões

A Favo, empresa de inovação pioneira na implementação na América Latina do community group buy – novo modelo de comércio online de itens de supermercado baseado em micro localizações, feito por empreendedores parceiros e através das redes sociais – anunciou um aporte de investimentos que somam R$ 35 milhões de fundos venture capital relevantes, como o GFC (Global Founders Capital) e Elevar Equity.

A companhia, que surgiu no Peru em 2019 e desembarcou no Brasil em fevereiro de 2020, já acumula 170 mil pedidos. Para 2021, o cenário continua otimista e a projeção é alavancar o volume de sua receita em, pelo menos, 10 vezes.

O vanguardismo e a forte adesão de consumidores e representantes de vendas nos dois países despertou o interesse de grandes investidores, como o GFC (Global Founders Capital) – um dos primeiros investidores do Slack, LinkedIn e de empresas brasileiras como o DogHero e BeeTech – e a Elevar Equity – que tem em seu portfólio empresas da América Latina e Índia do setor financeiro e de serviços. Com isso, a companhia, desde seu primeiro ano de atuação, já revela seu alto potencial de internacionalização tanto na captação de recursos, quanto na expansão de seus negócios em outros mercados.

Por trás da fundação da Favo está Alejandro Ponce, reconhecido empreendedor latino-americano, que com apenas 28 anos foi co-fundador do Nexus Group, fundo de private equity com extenso histórico de investimentos no varejo e mais de US$ 1 bilhão sob gestão. Entre eles, está o Plaza Vea, do Peru, um dos maiores grupos do país no segmento. Mais adiante, se juntou a ele Marina Proença, empreendedora brasileira da área de tecnologia, tendo já passado por diferentes startups e também conhecida por sua contribuição com conteúdos sobre empreendedorismo na TV.

“A Favo está empoderando comunidades, criando oportunidades em um contexto cada vez mais escasso de trabalho, e revolucionado a forma com que as famílias da América Latina fazem compras de supermercado ao simplificar a cadeia de suprimentos, usando a tecnologia para conectar empreendedores-líderes das comunidades aos consumidores finais, economizando tempo e dinheiro das pessoas”, ressalta Alejandro Ponce, fundador da Favo. 

Bem sucedidos em suas carreiras, eles se uniram nos negócios porque queriam ir além, deixar a sua marca de contribuição na construção de uma sociedade mais justa. Com a Favo, eles querem facilitar o acesso ao e-commerce, principalmente para pessoas que nunca fizeram compras online, e dar oportunidades de geração de renda.

“A Favo nasceu para transformar a compra de supermercado numa tarefa mais fácil, barata, humanizando a experiência. E só consegue fazer isso pela força das comunidades, da vizinhança, que se une para comprar e gerar renda para quem precisa. Já somos milhares de empreendedores e comercializamos mais de 1.500 itens de marcas conhecidas e que fazem parte do dia a dia das pessoas”, comenta Marina Proença, cofundadora da Favo.

Atualmente, a rede Favo atende toda a cidade de São Paulo e cidades que compõem a sua região metropolitana, além de Lima, capital do Peru. Ao longo de 2021, está prevista a expansão para outras capitais do Brasil, assim como a entrada em novos países latino-americanos, como México, Colômbia e, mais adiante, o Chile.


Quer acompanhar de perto todos os investimentos no ecossistema de startups? Siga as redes sociais Startupi e acesse nosso ranking de investimentos do mês.

Mais tradicional portal de mídia brasileiro sobre o mercado de Startups, Inovação, Investimentos, Empreendedorismo e Tecnologia. Desde 2008 vem colaborando para a construção do ecossistema brasileiro de Startups, informando e educando todo o mercado. Quer falar com a gente? Clique aqui e envie uma mensagem para redação, parceria ou comercial. Mantenha-se atualizado sobre as novidades do Startupi pelas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram e Linkedin.

Matérias Relacionadas

No comments yet. You should be kind and add one!

Our apologies, you must be logged in to post a comment.