A Ativa Soluções, startup mineira especializada em fornecer soluções de conectividade em tempo real, que desde 2004 tem a tecnologia IoT como força motriz, anunciou hoje um aporte da gestora KPTL, por meio do Fundo Criatec 3, em conjunto com a Wayra, hub de inovação aberta da Vivo no Brasil e da Telefônica no mundo. O valor da transação não foi divulgado.

Com o objetivo de monitorar e gerir a infraestrutura instalada em empresas remotamente, a startup se dedica em pesquisar e desenvolver equipamentos para Internet das Coisas (IoT) e Machine To Machine (M2M). Seus sistemas estão segmentados em verticais como: Saneamento, Energia Elétrica, Óleo e Gás, Telecomunicações, Transportes, Meio Ambiente, Agronegócio, Educação e Saúde. Entre os principais clientes estão empresas líderes em seus segmentos, como Vivo, que lançou recentemente o Vivo Clima Inteligente, BRK Ambiental, Neoenergia, Hyundai Rotem Brasil, CAF e CPFL.

O grande diferencial da Ativa Soluções é combinar o hardware robusto e resistente a uma plataforma de gestão eficaz em tempo real, ambos desenvolvidos internamente. Conectados à infraestrutura e ao maquinário dos clientes, os equipamentos desenvolvidos pela empresa realizam desde a coleta de dados podendo até agir no equipamento a distância, automatizando da sua operação.

Adaptáveis, estes equipamentos conectam-se automaticamente ao Sollus, o software de gestão da empresa. Com ele, configura-se os equipamentos remotamente, e é possível realizar a transmissão, processamento, análise e apresentação dos dados captados pelos sensores por meio de uma página web totalmente amigável e fácil de usar.

Para o fundador e CEO da Ativa Soluções, Edson José Rennó Ribeiro, a diversificação só foi possível graças a uma trajetória sólida. “Nosso negócio é gerenciamento remoto e evoluindo tecnologicamente nas suas versões e segmentos. Conseguimos verticalizar nossas soluções para atender várias áreas, ampliando a possibilidade de mercados e clientes. Do setor de telecomunicações passamos a atuar em empresas de gás, saneamento, transporte, energia elétrica e no agronegócio”, explica Ribeiro. Segundo ele, o objetivo com o aporte é aperfeiçoar políticas internas de governança e aumentar a musculatura da companhia nessas verticais.

Renato Ramalho, CEO da KPTL, conta que a gestora tem 10 empresas investidas com soluções em Internet das Coisas, mas já passaram pela casa cerca de 15 nessa categoria de produto, em diversos setores, como agro, energia e telecomunicações. “A KPTL tem um portfólio muito relevante em IoT. A Ativa tem um histórico que faz sentido para a KPTL e muito do que a gente gosta, uma propriedade intelectual consistente que se debruça sobre várias verticais relevantes. É um ótimo case de IoT olhando para verticais importantes da economia brasileira”, equaciona Ramalho.

Edson Ribeiro, CEO da Ativa Soluções.

“Acreditamos na Ativa Soluções desde quando a empresa foi selecionada no programa Agro IoT Lab, que rodamos em parceria com a Vivo, Ericsson, Raízen, Pulse e ESALQTec, em Piracicaba. A Wayra como hub de inovação aberta da Vivo junto ao ecossistema de startups, viu forte sinergia e complementariedade entre as empresas para oferecer novas soluções B2B em diversos segmentos como Telecomunicações, Gás, Energia, Agro e Indústria 4.0 dentre outros, utilizando tecnologias de IoT, telemetria e M2M (Machine to Machine). O investimento na Ativa reforça esta parceria, pois acreditamos no seu alto potencial de negócios e escalabilidade”, conta Livia Brando, Country Manager da Wayra Brasil.

Trajetória empresarial

Criada em Santa Rita do Sapucaí, polo de tecnologia em telecomunicações no Sul de Minas Gerais, a Ativa Soluções é filha da mesma terra de seu fundador e CEO, Edson Rennó Ribeiro. Com cerca de 45 mil habitantes, o município não é grande, mas é uma espécie de epicentro de tecnologia da região conhecida como Vale da Eletrônica, sede de instituições de formação de técnicos e engenheiros, como a Escola Técnica de Eletrônica (ETE FMC) e o Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel). Há alguns anos, a cidade é palco de eventos de inovação e criatividade, como o Hack Town.

Técnico em eletrônica e filho de engenheiro, o empreendedor também se formou em Engenharia, seguindo o modelo paterno. Criado nesse mundo de telecomunicações, Edson sempre aproveitava as chances de ir ao trabalho com o pai, que trabalhou a vida toda na antiga Telesp. Durante a faculdade, cursada no Inatel, estagiou em empresas de telecomunicação, que costumavam contratar recém-formados.

“Contudo, entre 2003 e 2004, as privatizações motivaram demissões e falta de empregos no setor, impulsionando assim o lado empreendedor dos alunos. Na figura do professor Mario Augusto de Souza Nunes, a escola apoiou os alunos a encontrar formas de transformar ideias em empresas, com planos de negócio sólidos”, relembra Edson Ribeiro. “Mas como uma empresa pequena e incubada faz tudo isso? Com muita paixão, sempre”, sintetiza ele. E assim, em 2004, dentro da incubadora de empresas do Instituto Nacional de Telecomunicações nasceu a Ativa Soluções.

Na trajetória da empresa, parcerias com o Inatel e a Finep (Financiadora de Estudos e Projetos do Ministério da Ciência e Tecnologia), projeto de desenvolvimento do canal de retorno da TV Digital. Em 2008, a empresa passou por uma estruturação interna de processos e implementou o Sistema de Qualidade ISO 9001. No ano seguinte, registrou crescimento de 300% em relação ao ano anterior.

Com a inauguração da Unidade Padre Landell de Moura, em 2010, a ATIVA Soluções passou a estruturar a equipe de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação. Em 2012, vence a licitação para implementar a Plataforma Coletora de Dados para o Cemaden (Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais), instalando mais de 4 mil unidades em todo o Brasil. O planejamento estratégico com mentoria da Fundação Dom Cabral, em 2014, resultou em um salto de faturamento da empresa, a partir de 2015. Neste mesmo ano, a empresa passou a prestar serviços de instalação, manutenção, operação e hidrologia como forma de agregar valor aos produtos.

Em 2017, a empresa reformulou o portfólio e organizou seu departamento comercial em áreas de atuação para atender melhor às demandas de mercado. No mesmo ano, um novo sócio chegou à Ativa Soluções. Graduado em Engenharia Elétrica pela Universidade Mackenzie e irmão mais novo de Edson, Lucas Rennó Ribeiro, entrou na sociedade para contribuir com a estruturação das verticais, atendendo simultaneamente múltiplas demandas de mercado.

Atualmente, a empresa tem 62 funcionários e mais de 1 milhão de equipamentos em atividade por todo o Brasil e até mesmo em países como Estados Unidos, México e Chile.