A Gove, plataforma de inteligência que aumenta a eficiência das finanças municipais, acaba de receber um aporte de R$ 8 milhões realizado pela Astella Investimentos. O investimento será usado para expansão da equipe de vendas e triplicar o time como um todo.

“O investimento é um marco no ecossistema de govtechs, criando melhores condições para destravar um mercado que, por exemplo, nos EUA movimenta R$ 200 bilhões por ano só considerando compras de tecnologia de governos locais – no Brasil, as compras de tecnologia por parte de governos movimentam aproximadamente R$ 25 bilhões por ano. A entrada das govtechs no mainstream de investimentos de Venture Capital facilitará a criação de grandes empresas e tem potencial para aumentar, de maneira muito direta e rápida, a competitividade do país em si”, comenta Rodolfo Fiori, cofundador da Gove. 

Para resolver o problema da alta ineficiência das finanças públicas municipais causada por, dentre outros motivos, informações descentralizadas e decisões pouco embasadas em dados e evidências, a empresa lançou, em 2018, uma plataforma de inteligência pioneira que melhora a eficiência das finanças municipais e facilita o dia a dia dos gestores públicos. 

Segundo Edson Rigonatti, sócio da Astella, “encontramos na Gove os elementos que tornam as empresas tech grandes ícones da nossa sociedade: um time incrível com muita experiência, um produto dez vezes melhor do que qualquer alternativa e um processo de venda eficiente e escalável”.

Mirando expandir sua atuação, a Gove usará o investimento para aumentar a equipe de vendas em regiões estratégicas para a empresa e triplicar o time como um todo.  Com isto, a empresa projeta, até o final de 2022, escalar seu impacto e negócio “multiplicando a quantidade de clientes, as cidades brasileiras, por 10”, sinaliza Fiori. 

Segundo dados da startup, as secretarias de finanças municipais relatam, já no primeiro mês de uso do software de inteligência da Gove, uma melhora nas rotinas de gestão das finanças e, principalmente, conseguem identificar e implementar melhorias nas receitas e despesas do municípios. Teve casos, como conta Ricardo Ramos, também cofundador da Gove, em que “o uso da plataforma quadruplicou uma das receitas tributárias municipais”. Ao todo a govtech já contribuiu para o aumento da eficiência financeira de seus clientes em mais de R$ 100 milhões. 

Em um momento crucial para o uso inteligente de recursos como é o caso da pandemia da covid-19, que colocou pressão sobre as finanças públicas, a Gove conseguiu ajudar os municípios que já usam sua plataforma proprietária a administrar os cofres públicos de forma a atender melhor às necessidades da população. Entre alguns exemplos de ineficiências cruciais corrigidas pela Gove estão os preços na aquisição de medicamentos pelos municípios  por valores acima do melhor disponível no mercado e identificação e utilização de recursos financeiros municipais esquecidos em contas correntes.

A Gove tem atuação nacional, e já implementa a solução em todas as regiões do país. A plataforma de inteligência auxilia desde municípios pequenos como Cotiporã (RS), São Bonifácio (SC) e Una (BA) até municípios de maior porte, como Blumenau (SC) e Araguaína (TO). 

A empresa acredita que gestores públicos empoderados com dados e evidências podem tomar melhores decisões e aumentar a eficiência dos recursos financeiros, melhorando assim a qualidade dos serviços oferecidos ao cidadão.