O Facebook e a Baita – aceleradora sediada na Unicamp que já impulsionou mais de 70 startups de base tecnológica – lançaram o programa Campo Digital, que irá acelerar startups para desenvolverem soluções digitais para o agronegócio brasileiro, com foco em pequenos e médios produtores agrícolas. O projeto será gratuito e qualquer startup do Brasil poderá se inscrever para participar.

As dez startups selecionadas enfrentarão o desafio de fornecer soluções focadas na digitalização da agricultura ou que utilizem a tecnologia para melhorar a produtividade, eficiência ou sustentabilidade no campo, com foco especial nos pequenos e médios produtores.

O Campo Digital é o primeiro programa do Facebook para fomentar o desenvolvimento de novos negócios com base em tecnologia com foco na agricultura. “De acordo com o Censo Agropecuário do IBGE, as pequenas propriedades geram 67% dos empregos no setor agropecuário e produzem 70% dos alimentos consumidos no Brasil. Vemos uma oportunidade para fomentar a inovação digital nesse setor tão vital da economia brasileira.  Uma pesquisa do McKinsey de maio deste ano mostrou que apenas um terço dos produtores consideram usar ferramentas online para comercializar seus produtos, ou seja, existe um potencial enorme de ganho de eficiência e escala com o uso de ferramentas digitais”, explica a gerente de políticas públicas do Facebook, Andréa Leal.

As startups terão acesso a um programa de aceleração online e mentoria da Baita com duração de quatro meses. Ao longo do programa, elas terão ajuda na definição de metas e avaliação do modelo de negócio, palestras, workshops e networking com profissionais do agronegócio.

Além da mentoria de profissionais do Facebook e Baita, as startups também contarão com a capacitação técnica de especialistas da Esalqtec e Unicamp, instituições de ensino reconhecidas nacionalmente pela formação de profissionais do agronegócio, da Embrapa Informática Agropecuária e Instituto de Pesquisas Eldorado, que trazem um conhecimento profundo de tecnologias digitais para o agronegócio. A Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) vai suportar os processos de seleção e aceleração do programa, refinando a seleção de startups para que elas tragam soluções a problemas concretos dos produtores das diversas regiões do Brasil. 

Além dos parceiros especializados, o programa contará com a mentoria de startups e empresas de sucesso que já vivem o desafio de atuar com o pequeno e médio agricultor.

“Nosso objetivo no programa Campo Digital é colocar o pequeno e o médio produtor como foco das soluções e atender a este segmento de mercado nos desafios de toda a cadeia agro – do insumo ao consumo. Usaremos toda experiência da Baita na aceleração de startups agro que, aliada à parceria com o Facebook, permitirá às startups potencializar canais já altamente utilizados por estes agricultores no seu dia a dia, como Facebook, Instagram e Whatsapp”, ressalta Rosana Jamal Fernandes, sócia da Baita.” 

“Acreditamos nesta parceria com o Facebook e a Baita. O nosso objetivo é identificar os principais problemas que impactam o nosso setor e buscar as soluções tecnológicas mais eficazes para o produtor rural. Queremos acompanhar a implantação do Projeto Campo Digital, é uma excelente oportunidade para incentivar os jovens empreendedores a contribuir com os desafios do agronegócio brasileiro”, afirma Matheus Ferreira, coordenador de inovação do Sistema CNA/Senar.

Ao final do programa, em abril de 2021, as startups apresentarão seus projetos e junto com a Baita definirão os próximos passos para oferecerem suas soluções de forma independente. No evento de conclusão do programa, o Demoday, os fundadores das startups aceleradas terão a oportunidade de apresentar seus modelos de negócio para um painel de especialistas e de investidores, que incluem a CNA, o BID Lab (laboratório de inovação do Grupo Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID), a SP Ventures, Yield Lab e outros fundos de investimento com tese em Agtechs.

As inscrições para participar do programa já estão abertas e qualquer startup brasileira que já esteja em fase operacional pode se cadastrar pelo site até 18 de outubro. Após o fim das inscrições, as startups participarão de um processo de análise e entrevistas. As dez finalistas serão anunciadas em novembro.