Pensando nos jovens que estão em casa devido à pandemia e não estão conseguindo acompanhar as aulas online, a ONG Gerando Falcões lançou o projeto Bolsa Digital, uma plataforma de estudos composta de aplicativo, acesso à internet móvel e aulas online.

Durante a quarentena, o instituto também foi responsável por organizar uma campanha de arrecadação de dinheiro para distribuir alimentos e gêneros de primeira necessidade às populações carentes através de uma cesta básica digital. 

Agora, voltada à educação, ela oferecerá apoio educacional aos jovens que a ONG atende. Assim, através de um aplicativo, eles têm acesso a aulas nas áreas de formação emocional, reforço escolar, preparação para o ENEM, cultura e apoio ao microempreendedor.

Para isso, a ONG conta com o apoio da sociedade em geral que pode apoiá-la através do site. O novo projeto também inaugura uma nova forma da organização arrecadar fundos para as suas ações. A ideia é transformar os seus doadores pontuais em recorrentes utilizando tecnologia, inteligência de mercado e, claro, a credibilidade conquistada pelos projetos sociais transformadores capitaneados pela Gerando Falcões. “Vamos acelerar a filantropia no Brasil”, promete Lyra.

Para isso, a organização vem criando uma rede de mobilização de recursos, composta por voluntários, no geral, universitários brasileiros que estudam em universidades americanas, alunos de escolas particulares e funcionários de grandes companhias parceiras da ONG.

Cada um deles terá a meta de acionar contatos de doadores pontuais da Gerando Falcoes e convidá-los a se tornarem doadores recorrentes na campanha da Bolsa Digital. “Esse projeto tem dois objetivos que andam juntos: combater a exclusão digital e, dessa forma, garantir educação e um futuro transformador pra esses jovens”, explica Edu Lyra, CEO e fundador da ONG.