FastBlock, uma das maiores empresas mundiais de administração e consultoria de blockchain, assumiu recentemente as operações de um dos maiores data centers do mundo. Localizado em Atlanta, nos Estados Unidos, o espaço possui mais de 25 mil metros quadrados e é suficiente para dar conta da nova base, que opera 20 megawatt de carga. O valor da aquisição não foi divulgado.

A escolha por Atlanta se deu por conta da cidade ser um dos maiores polos de criptomoedas e mineração dentro dos Estados Unidos e do mundo e também pela sinalização do atual governo americano em tratar o bitcoin e a mineração como um setor industrial. Outro ponto fundamental pela escolha é a descentralização do mercado de mineração mundial, que hoje em dia está concentrado na China.

Essa aquisição consolida a FastBlock como um dos maiores players operando no mercado americano e traz uma segurança maior por conta da velocidade, rede e da descentralização dos nós de mineração.

“Por estar muito centralizada na China, cerca de 50% do mercado, a mineração fica muito vulnerável, por isso trouxemos o data center para um polo novo. Nos Estados Unidos a descentralização faz muito mais sentido, além de ser um país em que o governo está olhando para as criptomoedas e para a mineração com bons olhos”, revela Bernardo Schucman, CEO da FastBlock.

Até o fim do ano, a expansão do data center deve permitir chegar a uma potência de mais 30 megawatt, totalizando 50 megawatt de potência atribuída. Essa evolução será possível graças aos 4500 equipamentos instalados e aos 20 funcionários, entre eles engenheiros, que estão trabalhando na operação do data center. Desde o início do ano, a FastBlock já minerou cerca de 400 bitcoins.