O novo coronavírus pegou muitos setores da economia mundial de surpresa. Empresas tiveram que diminuir seus times para conter gastos, enquanto profissionais de ponta passaram a ficar disponíveis para o mercado. Estes, por sua vez, tem encontrado uma certa dificuldade de achar novos talentos, o que despertou o interesse da Truora, startup colombiana de soluções contra fraudes. Ela é uma das várias pelo mundo que criaram alternativas focadas em minimizar os impactos causados pela covid-19.

A empresa criou o “We Help”, um site voltado para ajudar os dois lados daqueles que sentem, de forma bastante acentuada, os efeitos da pandemia: candidatos que perderam seus cargos e recrutadores que estão à procura de novos rostos para seus times.

“Tem muita gente sendo demitida, com muito talento, de áreas muito diversas. Pessoas de vendas, suporte ao cliente, programação, marketing, finanças. Muitas pessoas que tem conhecimento, talento e que poderiam ser úteis para outras empresas. E o mercado não deu tempo de organizar isso. As empresas de recrutamento que estão fazendo prospecção e estão captando não tiveram tempo de pegar todos esses talentos e conseguir levar às empresas que estão recrutando”, explica Bruno Cecatto, co-fundador da Troura.

Bruno Cecatto, co-fundador da Truora.

Como acessar?

O site, que está disponível nas versões inglês, português e espanhol, é bastante intuitivo e focado em contratar pessoas para organizações situadas na América Latina. Na página inicial, é possível escolher entre duas opções: “Caça Talentos”, voltado para empresas que estejam à procura de profissionais e “Buscando Oportunidade”, caso o internauta esteja buscando uma nova oportunidade de emprego.

Na primeira, o interessado em recrutar insere o nome da empresa e um e-mail para contato. Ao clicar em ‘Continuar’, ele segue para as próximas etapas. Todas as informações servirão para alimentar o banco de talentos criado pela Truora, que se compromete a compartilhar as informações de forma interna com todas as empresas que conhece e que estão recrutando na América Latina.

Na segunda opção, o usuário que está à procura de emprego deverá incluir, em sequência, as seguintes informações: país onde reside, nome completo, e-mail, telefone para contato, última empresa que trabalhou, a função que desempenhou nesta e o link do perfil da rede social Linkedin. Para que todas as informações sejam registradas e enviadas corretamente, o internauta deve clicar em ‘“Submeter”.

Todos os campos são de preenchimento obrigatório e, assim como no caso dos recrutadores, as informações inseridas vão compor um banco de dados de talentos que também serão compartilhados internamente com todas as empresas conhecidas pela Truora na América Latina.

A plataforma foi ativada no último dia 12 de maio de forma global, exceto o Brasil, que passou a ter acesso ao serviço na última terça-feira, dia 19. Ele vale para qualquer setor, independente do cargo. “Quando a pessoa que está querendo ser recrutada envia o perfil, ela já sabe que ela vai estar exposta para todas as empresas, e estas só precisam acessar a data base e navegar nos talentos”.

A ação é a primeira desenvolvida pela empresa neste sentido. Segundo Bruno, em pouco mais de uma semana, a adesão foi bastante significativa. “Na primeira semana, a gente já tinha recebido uma centena de pessoas que estavam se aplicando. Já teve gente da Índia, da Rússia, de vários lugares. No Brasil, a gente já teve mais de 80 pelo que eu vi. Então está crescendo bem rápido. Não tem mistério, é bem fácil de usar”, destaca.

O cofundador explica que a “We Help” pretende continuar em atividade, mesmo depois da pandemia. “Nossa ideia é sim, continuar que a plataforma fique ativa e que seja um pool de talentos para, independente da crise, o futuro. E nós também estamos abertos a ver o que a gente pode melhorar, se tem mais coisas que a gente pode trazer para quem está aplicando, mas acho que são cenas para os próximos capítulos, vamos ver as sugestões que vão vir e o que a gente pode fazer para melhorar também”.

Bruno acredita que o momento é de união e com a plataforma, espera ajudar, de fato, recrutadores e recrutados. “A gente pensou que se uma pessoa conseguir emprego, com isso tudo, já valeu a pena. A gente ver talentos perdendo emprego, que são pessoas boas, qualificadas, é muito triste. Então tudo o que a Truora puder fazer para ajudar a América Latina a continuar se desenvolvendo e a voltar nos trilhos para ser uma potência tecnológica, econômica e de desenvolvimento, faz parte do nosso sonho aqui e a gente vai fazer com o maior prazer. Pedacinho por pedacinho, a gente chega lá”, finaliza.


O Startupi também está empenhado em ajudar quem está buscando uma recolocação no mercado de trabalho. Várias empresas seguem contratando para trabalho remoto, mesmo durante a pandemia. Para acessar as vagas disponíveis, basta clicar neste link.