Um levantamento feito pela consultoria Navigant Research em 2013 apontou que o número de usuários de plataformas de carsharing chegaria a 12 milhões em 2020. Atento a esta tendência e aos desafios da mobilidade urbana enfrentados por diversas metrópoles, Diego Lira fundou em 2017 a Turbi, startup de aluguel de carros via aplicativo.

Para se cadastrar, o cliente deve ser maior de 21 anos, ter CNH há mais de 2 anos e possuir cartão de crédito pós-pago em seu nome. Lira ressalta que para garantir a segurança do aluguel, os dados seguem para aprovação de órgãos validadores como Detran e Polícia Federal.

Após este processo, o usuário deve escolher o modelo do veículo e o período em que o usará. O cliente é cobrado por hora (que varia de acordo com o modelo), mais um adicional de R$0,50 por quilômetro rodado. Quanto ao combustível, a startup fornece um cartão de abastecimento já com crédito e o cliente não precisa pagar por ele depois.

Tanto a retirada quanto a entrega do carro deve ser feita no mesmo local. Esse formato é chamado de round trip e a escolha se deu após um estudo que Lira fez sobre carsharing e seus formatos (além de round trip, existe o peer-to-peer – no qual os proprietários de carros disponibilizam seus veículos para que outros possam alugar por curtos períodos de tempo – e one way trip – onde o usuário pode pegar em um ponto e devolver em outro ponto da própria startup). Segundo ele, o formato atual é o mais adequado para o momento da startup devido a facilidade logística.

Com previsão de faturamento de R$100 milhões para este ano, a startup possui 600 veículos em sua frota de carros e seu serviço está disponível somente em São Paulo, mas Lira revelou em conversa ao STARTUPI que este ano pretende aumentar este número para 5 mil e expandir para novas cidades.

Turbi

Foto: Divulgação

Segundo ele, existe um algoritmo que aponta quais as melhores regiões para expansão de acordo com demandas como volume de acesso, download do aplicativo e cadastro. A partir disso, o empreendedor vai a campo para conhecer os lugares apontados e entender como funciona particularmente cada região.

Ao todo, já são 27 cidades mapeadas, mas o empreendedor pretende ir com calma. “Esse entendimento dos mercados locais e mapeamento de pessoas e parceiros que teremos nós já estamos fazendo. Esperamos avançar, esse ano, em umas cincos cidades para garantir também uma curva de aprendizado”, explicou o CEO da empresa.

Turbi B2B

Em dezembro de 2019, a startup também lançou o Turbi Empresas. O serviço, que tem como objetivo otimizar as despesas com o deslocamento dos colaboradores para compromissos profissionais, exclui a necessidade de reembolso de combustíveis e pedágios, já que as organizações recebem a fatura diretamente via cartão ou boleto, e pode gerar uma redução de até 75% dos custos, explicou o empreendedor.

Lira também contou que a decisão veio a pedido dos próprios clientes que antes utilizavam o aplicativo como pessoas físicas, mas começaram a perceber que a Turbi saía mais em conta do que outros modais também para o ambiente corporativo. Em três meses de operação, a modalidade possui mais de 100 empresas como clientes e cerca de 6 mil usuários cadastrados.

Investimento

Desde 2017, a Turbi já recebeu três aportes, que juntos somam quase R$ 7 bilhões e o empreendedor revelou que deve fechar mais uma rodada de investimento nos próximos meses.

Repetindo o crescimento do ano anterior, a startup pretende crescer 10 vezes em 2020 e a nova rodada de investimento deverá ajudar na expansão de frota, geográfica e time, contou Lira.

A expectativa é que até 2021 a empresa tenha em todo o País 50 mil carros compartilhados, que segundo o estudo feito por Lira, seria o suficiente para atender a demanda do Brasil em carsharing, concluiu o empreendedor.

E ai, que tal testar o o serviço da startup? A reserva do carro Turbi deve ser feita diretamente no aplicativo, disponível para download na Play Store e Apple Store,  até 30 minutos antes do início da viagem. Caso o cliente tenha algum imprevisto, o cancelamento deve ser feito em até 20 minutos, após esse período será cobrado o valor mínimo de acordo com o carro reservado.