* Por Gabriel Malinosqui

É essencial que as discussões importantes deixem de ser apenas ideias e passem a ser colocadas em prática. A relevância em estimular a diversidade é um exemplo. A tendência é de que cada vez mais as empresas, por exemplo, precisam se adequar à essa demanda da sociedade. A importância da diversidade não é apenas uma questão de bom senso. Ambientes diversos também refletem resultados mais positivos para os negócios.

Não faltam exemplos e dados para comprovar os benefícios em possuir uma equipe com diversidade de gênero, etnia, orientação sexual e afins. As diferentes histórias e contextos sociais são essenciais para criar uma visão mais ampla dentro do time da sua startup, com ideias melhores e mais inovadoras. 

A importância da diversidade: conheça os dados

É impossível lutar contra eles. Além de precisar estar sempre atualizada, é importante para qualquer startup basear-se nos fatos. As vantagens em possuir um time homogêneo também são comprovadas pela análise de resultados e comparações baseadas no mercado.

De acordo com um estudo elaborado pela consultoria estratégica Boston Consulting Group (BCG), startups fundadas por mulheres, por exemplo, tem um retorno maior de 100% quando comparadas com as idealizadas por homens. Para cada dólar investido, as empresas fundadas por elas geraram uma média de US$ 78 centavos. Já as criadas por eles, retornavam cerca de US$ 31 reais para o mesmo valor. 

Apesar deste dado, as mulheres ainda ocupam poucos cargos de decisão no Brasil. Segundo o IBGE, são apenas 37,8% em funções de gerência, mesmo que elas sejam 51,7% dos trabalhadores brasileiros.

Além disso, o incentivo a diversidade é o foco dos recursos humanos em várias das maiores empresas nacionais. Uma pesquisa da Associação Brasileira de de Comunicação Empresarial aponta que entre 124 empresas responsáveis por 18,3% do PIB do país em 2018, 63% possuem programas de diversidade. Os motivos vão desde a melhora da imagem e reputação das companhias até aumento da eficiência e contribuição por mudanças nas estruturas sociais.

Quais empresas estão se esforçando?

Natura

A empresa, que vale cerca de R$33 bilhões, é referência em promoção da diversidade. A gigante dos cosméticos já se preocupa com temas importantes como a biodiversidade há muito tempo. Reconhecida pelas boas práticas, a empresa aderiu recentemente ao Princípio de Empoderamento das Mulheres (WEP) da Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e Empoderamento das Mulheres (ONU Mulheres). 

Uma das medidas adotadas pela Natura foi a meta de possuir mulheres em 50% dos seus cargos de liderança até esse ano. Para isso, a empresa instituiu a obrigação de que ao menos uma mulher fosse finalista dos processos seletivos da empresa. Além dessas medidas, a Natura ainda assume a meta de equiparar os salários dos gêneros e busca criar ambientes mais agradáveis para que as mães se adaptem ao trabalho mais facilmente.

Mastercard

Uma das maiores empresas do ramo de pagamentos também reconhece a importância da diversidade. Com um Conselho de Inclusão Global (GIC) composto por representantes de todas regiões de negócios da empresa, a Mastercard possui uma taxa de contratação de negros de 41% nos Estados Unidos. A companhia ainda conta com mulheres em 80% dos seus recrutamentos e 84% de minorias étnicas. 

A bandeira da igualdade salarial também é forte na empresa. Globalmente, para cada US$ 1 dólar recebido por um homem na Mastercard, uma mulher ganha R$ 0,996 centavos. Além disso, minorias recebem US$ 1,005 na mesma comparação.

Johnsons & Johnsons

Atuando na área de produtos médicos e farmacêuticos há mais de 100 anos, a Johnsons & Johnsons tem a diversidade como lema. A visão da empresa sobre diversidade e inclusão é: “seja você mesmo, mude o mundo”. A companhia acredita que as experiências individuais de cada um contribuem para a construção de um mundo melhor e mais saudável. Uma das regras da empresa, por exemplo, é que seus fornecedores possuam compromisso com a inclusão.

Uma visão para os novos tempos

Pensar em inovação e modernidade não está ligado simplesmente à tecnologia e a dinâmica de trabalho. Os consumidores, felizmente, já compreendem que as empresas também devem estar engajadas em causas sociais relevantes. A importância da diversidade pode ser observada nos resultados, por proporcionar ambientes de trabalho mais plurais. Contudo, incentivar isso também é essencial para sobreviver no mercado.

A pluralidade gera ideias novas e aumenta as possibilidades para as empresas. Além disso, contar com um time diverso destaca o compromisso da startup em valorizar o que há de diferente nas pessoas, melhorando o clima interno e, consequentemente, a produtividade. Um ambiente de trabalho composto por um grupo e lideranças diversificadas não é só um compromisso, mas uma forma melhor de representar o mundo dentro da sua empresa.


Gabriel Malinosqui é formado em Ciência da Computação pela Universidade Paulista.  É apaixonado por empreendedorismo e quer mudar a vida das pessoas com tecnologia. Valida startups digitais desde os 17 anos e após aprender bastante com o mercado, fundou com outros sócios a ez.devs, empresa com foco em ajudar pessoas a tirarem seus produtos digitais do papel. Desde então já contribuiu para a evolução dos projetos de mais de 20 startups de todo o Brasil!