Após quatro anos à frente da ABS – Associação Brasileira de Startups, Rafael Ribeiro acaba de assumir como Head de Corporate e Startups da Bossa Nova​ Investimentos, um dos fundos de venture capital​ ​mais ativos da América Latina.

Fundada por Pierre Schurmann e João Kepler e hoje liderada por Rodolfo Santos, a companhia dá mais um importante passo rumo à estratégia de atingir a marca de mil startups nos estágios pre-seed e seed money.

Em conversa exclusiva com o STARTUPI, Rafael Ribeiro conta que atuar dentro da ABS foi um grande desafio. Eles precisavam ter uma Associação que fosse reconhecida como uma fonte representativa por todos os estados brasileiros e por todo ecossistema.

“A gente pensava que precisava gerar valor apenas para os empreendedores, mas ao longo desses quatro anos ficou muito claro que a nossa missão é muito maior. Também precisamos gerar valor para imprensa com dados e informações confiáveis, para os investidores e grandes empresas apresentando as melhores oportunidades, além de mostrar para as Universidades a importância dos seus talentos que são a fonte esmagadora para que as startups consigam dar os próximos passos. Nós tivemos que agregar valor para todas as cadeias o que ajudou bastante na evolução da própria Associação”, comenta ele.

E esse crescimento pode ser notado através dos números. Quando Rafael assumiu a presidência executiva da Associação, existiam cerca de 300 startups mapeadas e hoje esse número passa de 12 mil. Na época eles contavam com 200 startups associadas e hoje são mais de 2000 mil em sua base. Sem contar os números do Case, que hoje é considerado o maior evento de startups da América Latina.

De zero a Associação também passou a ter 20 mantenedores, que são grandes empresas que querem estimular e servir de combustível para startups em todo Brasil. Eles apoiam a ABstartups em seus projetos institucionais e tem contato direto com empresas inovadoras em todo território nacional.

Também nesses quatro anos a ABS conseguiu mapear e coletar dados de mais de 60 comunidades. Com isso, hoje é possível sabermos quem são os líderes locais, as iniciativas de fomento ao empreendedorismo, os eventos que acontecem nas diferentes regiões e muito mais. “Hoje temos uma visão muito clara e abrangente de como o Brasil está se comportando quando se fala de empreendedorismo”.

Lições

Para Rafael, uma das maiores lições que teve durante esse período foi a importância de ter um time eficiente que executa, e que não necessariamente precisa ser o mais caro, mas que trabalha com propósito e que é desafiado a todo momento.

Outro aprendizado foi conseguir enxergar a gama de oportunidades que existem pelo Brasil. Durante esses quatro anos Rafael teve a chance de visitar os 27 estados e conhecer de perto as comunidades e entender como elas realmente funcionam.

“O Brasil é um país gigante, existe muita diversidade, mas pouco se fala sobre. Eu tive a chance de viajar e ficar cara a cara com as pessoas que atuam nessas comunidades, por isso vi e entendi que ainda existe uma grande oportunidade para crescer o país, gerar empregos e riquezas”, destaca.

Próximos passos

Com o objetivo de continuar atuando ativamente no ecossistema de startups, Rafael será o responsável pela operação e garantirá que um dos principais fundos de investimento do país amplie sua atuação, olhando além das grandes capitais.

Assim como enxergou lá atrás que existia uma oportunidade gigante para a Associação Brasileira de Startups crescer, Rafael se mostra muito positivo com o mercado de investimentos e venture capital no Brasil.

Desde a venda da sua startup em 2016, Rafael vem fazendo alguns investimentos-anjo e tem sentido o amadurecimento e crescimento do mercado. “A escolha pela Bossa Nova se dá principalmente para trazer esse olhar macro do Brasil para os investidores. Meu grande interesse hoje é levar os investimentos que ficam concentrados no Sudeste para o resto do país. Esse será meu papel dentro da Bossa”.

“Tendo liderado mais de 60 mapeamentos de cidades e regiões do Brasil, Rafael é a pessoa certa no lugar certo para atingirmos nossos objetivos. Ele conhece melhor que ninguém o ecossistema empreendedor brasileiro.” Conclui Rodolfo CEO da Bossa Nova.