Agora é oficial! Mark Zuckerberg compartilhou a mudança de marca e sua visão sobre o metaverso e como a companhia fará parte da construção do futuro durante o Connect, conferência anual do Facebook.

O metaverso será um espaço social virtual 3D onde você pode compartilhar experiências imersivas com outras pessoas, mesmo quando você não pode estar presencialmente com elas – e fazer coisas juntos que você não poderia fazer no mundo físico.

“Estou orgulhoso do que construímos até agora e animado com o que vem a seguir – à medida que avançamos além do que é possível hoje, além da restrição das telas, além dos limites da distância e da física, e em direção a um futuro onde todos possam estar presentes uns com os outros, criar novas oportunidades e vivenciar coisas novas. É um futuro que está além de uma única empresa e que será construído por todos nós”, disse Mark Zuckerberg.

Para refletir esse novo capítulo da empresa, o Facebook está oficialmente mudando a sua marca para Meta, que do grego significa “além” e capta o compromisso da empresa com a construção de tecnologias sociais que nos levam além do que a conexão digital torna possível hoje.

No metaverso, você será capaz de fazer quase tudo que você possa imaginar – reunir-se com amigos e família, trabalhar, aprender, brincar, fazer compras, criar – bem como experiências completamente novas que realmente não se encaixam em como pensamos sobre computadores ou telefones hoje.

Neste futuro, você poderá se teletransportar instantaneamente como um holograma para estar no escritório sem deslocamento, em um show com amigos ou na sala de estar de seus pais para se atualizar. Isso abrirá mais oportunidades, não importa onde você more. Você poderá dedicar mais tempo ao que é importante para você, diminuir o tempo no trânsito e reduzir sua pegada de carbono.

Em comunicado, a empresa explica que de agora em diante, será primeiro o metaverso e não o Facebook primeiro. Isso significa que, com o tempo, você não precisará de uma conta do Facebook para usar os outros serviços da empresa.

“Nossa esperança é que, na próxima década, o metaverso alcance um bilhão de pessoas, hospede centenas de bilhões de dólares em comércio digital e ofereça empregos para milhões de criadores e desenvolvedores”, finaliza Mark.