* Por Raquel Luciano

Na última sexta-feira (14), foi dada a largada para o Exit in Action!,  uma série digital promovida pelo Startupi, onde João Kepler, CEO da Bossanova Investimentos e Geraldo Santos, CEO do Startupi, vão comandar diversas entrevistas com empreendedores com cases de EXIT no Brasil. Nesse bate-papo, o público poderá descobrir o que está por trás dos casos de empreendedores de sucesso, seus diferenciais e atitudes que fizeram suas startups serem destaque no mercado a ponto de serem compradas por grandes empresas.

João Kepler, Geraldo Santos e Rodrigo Schiavini.

Geraldo iniciou o debate lembrando que o objetivo das entrevistas é educar o empreendedor, desde o momento inicial do projeto, até a consolidação da empresa e como a entrada do investidor pode ser um diferencial para esta jornada. Ao mesmo tempo, o investidor-anjo também precisa entender como pensam os empreendedores e como e quando se atinge o EXIT. “A capacidade de execução do empreendedor, a aposta no time e a segurança que ele tem nesse negócio é o que faz o investidor sentir vontade de colocar dinheiro dali para frente”, disse Geraldo.

João Kepler complementou dizendo que o empreendedor quando quer montar um negócio, não quer sair. Entretanto, é preciso ter uma mentalidade de que a entrada de um investidor só vai ajudar no crescimento do negócio. “É preciso ter a mentalidade de longo prazo. Ninguém monta uma empresa para vender, entretanto, estamos no melhor momento para o investimento. A pandemia acelerou muito as empresas digitais, porque os grandes querem ser TEC, precisam das startups e isso foi essencial para o crescimento desse mercado, com uma nova rodada de investimento”, conclui João.

E para dar o ponta pé nas entrevistas, o primeiro convidado foi Rodrigo Schiavini, CEO da SmartHint, empresa de Curitiba fundada em 2017, que oferece um dos maiores sistemas de busca inteligente e de recomendação de compra para e-commerce do Brasil. Em abril de 2021, a startup foi comprada pelo Magalu para se tornar o motor de busca do superaplicativo e site da empresa.

Rodrigo Schiavini, CEO da SmartHint.

Durante o programa, Rodrigo contou um pouco sobre sua experiência como empreendedor e deu dicas de quais caminhos o empreendedor precisa seguir para se consolidar no mercado.

“As grandes corporações entenderam que o caminho para crescimento é a compra de empreendimentos que estão começando, que tem ideias inovadoras. E foi isso que aconteceu com a gente. O Magalu trouxe a oportunidade de entramos em um mercado muito maior. Somos 100% independente, agindo no mercado da mesma forma, mas ganhamos um potencial de escala gigantesco com essa parceria”.

Com grande experiência no mercado financeiro, Rodrigo também atua como diretor da ABComm e Investidor-anjo na Bossanova Investimentos e Curitiba Angels. Quando questionado sobre a entrada de investidores para as startups, Rodrigo é bem enfático na necessidade e na importância dessa parceria, sempre levando em consideração diversas aspectos.

“Eu tenho uma empresa que atua com compra e venda de participação. E é preciso agir de forma correta. O dinheiro mal investido no início da jornada pode destruir a empresa. E o empreendedor, por não conhecer, acaba aceitando por necessidade também, mas sem perceber, participa da destruição da sua empresa”.

Sobre a diversificação do negócio, o CEO da Smarthint, destacou a importância de não ficar preso em apenas um tipo de negócio. “O empreendedor precisa entender que a vida é curta para ter um negócio só. Só que para ter vários, você tem que fazer coisas aceleradas. Pensar lá no futuro. Assim, pense: será que vale a pena abrir aquele negócio e ter ele para o resto da vida? Será que não vale a pena abrir algo, pensando no crescimento, em franquias, até chegar ao ponto que o empreendedor possa atuar em outro segmento, partindo para novas formas de negócio? O tempo é muito curto para você pensar em um lugar só”, enfatiza Rodrigo Schiavini.

João Kepler lembrou que vence quem entende do mercado e consegue atender à necessidade das pessoas, e que o dinheiro do investidor não deve ser usado para quitar dívidas pessoais. Ele também deixou uma dica para quem pretende entrar no mercado de investimento em startups.

“Não adianta nada colocar um dinheiro que não vai gerar resultados ou que será perdido. Por isso, é bom ficar em alerta. Quer entrar nesse mercado? Comece com R$ 5 mil reais. Agora, se você quer ser investidor com potencial, o valor mínimo é de R$ 50 mil. Entretanto, sempre olhe o mercado e como esse dinheiro vai gerar resultados”.

Confira abaixo o Episódio na íntegra:

Ouça também o Podcast do Episódio#01 do Exit in Action!:


No próximo Programa (21/maio), o bate-papo será com Marcela Graziano, CEO da Smarket, que vai nos contar como a startup cresceu 33% em 2020 e foi adquirda pela Neogrid. Clique aqui e garanta sua vaga!