O Grupo A, referência em edtech no Brasil, anunciou a aquisição da Jaleko, startup carioca que oferece educação continuada para médicos e estudantes de medicina. Com a novidade, a Jaleko, avaliada em R$ 40 milhões, passa a fazer parte da empresa Artmed, especializada em educação continuada para saúde. O valor da transação não foi revelado.

Atualmente, o Grupo A possui mais de 3,5 milhões de estudantes em suas plataformas, 250 mil profissionais da saúde capacitados, 1 mil instituições de ensino superior parceiras e 4 mil autores de conteúdo. Além da vertical de saúde, que com a Jaleko passará a atender mensalmente mais de 60 mil profissionais e estudantes, o Grupo A tem uma vertical que oferece, tecnologia, conteúdo e serviços para Instituições de Ensino Superior.

Liderada por médicos empreendedores, a startup Jaleko já está presente em todos os estados brasileiros, e está cada vez mais crescente. No último balanço, outubro de 2020, comparado a 2019, no Norte o crescimento foi de 75%, no Centro Oeste o aumento foi de 180%, no Sudeste 50%, no Nordeste 85%, no Sul 150%. Além disso, a startup também chegou no exterior, com a evolução de 135% de alunos conectados.

“Somos uma plataforma que busca o apoio sistêmico do estudante de medicina, oferecendo conteúdo técnico complementar à faculdade, temas relevantes da grade curricular, além de conteúdos adicionais como empreendedorismo, inovação, técnicas para falar em público e soft skills. Desse modo, conseguimos potencializar ainda mais a formação desses profissionais”, destaca o CEO do Jaleko, Lucas Cottini.

Lucas Cottini, CEO do Jaleko.

Para o empreendedor, a startup, que já recebeu duas rodadas de investimento, tem o propósito de transformar a saúde através da educação e tecnologia. “Mais de meio milhão de pessoas passam pelo nosso site todos os meses, temos quase 150 mil usuários e mais de 100 conteudistas das maiores faculdades do país. Abrimos este ano o braço B2B para oferecer uma plataforma especializada para faculdades”, afirma Cottini.

Segundo ele, esse modelo institucional, que integra conteúdos e amplia a experiência do aluno já está sendo aplicado por grandes instituições do país, como a UERJ e a Estácio de Sá. “Como médicos empreendedores, temos muito orgulho de podermos apoiar instituições na digitalização do ensino nesse período tão complicado que vivemos”, finaliza o CEO.