Cleantech que possui solução para reuso e reciclagem de equipamentos eletroeletrônicos capta R$650 mil

A startup Circular Brain, que atua como um ecossistema digital para gestão de ciclo de vida (reuso e reciclagem) de equipamentos eletroeletrônicos, recebeu recentemente um investimento de R$ 650 mil para impulsionar o crescimento da empresa nos próximos anos. 

“Este investimento terá como foco principal a entrada da startup no mercado (Go2Market), pois a empresa passou o ano de 2020 trabalhando na estruturação do produto, após um período de operação do MVP no primeiro trimestre do ano”, contou Marcus Oliveira, fundador da Circular Brain, ao Startupi.

A cleantech foi fundada em dezembro de 2019 e surgiu como um spin-off  do grupo Reciclo, recicladora de eletroeletrônicos com mais de 10 anos de mercado. Marcus explicou que a startup atua “centralizando informações que ocorrem em operações descentralizadas em todo o Brasil, através de um algoritmo de rastreabilidade exclusivo, que além de garantir toda a conformidade legal e ambiental, serve ainda como um lastro para um sistema de créditos de reciclagem”. 

Sem revelar nomes, o empreendedor contou ainda que o valor de R$ 650 mil é referente a um investimento feito em dívida (Bridge Loan) pelos investidores pré-seed, a fim de evitar uma diluição adicional dos fundadores e manter um cap table alinhado com as futuras rodadas de investimento. “O investimento inicial recebido, foi de R$ 1 milhão realizado por uma empresa brasileira de tecnologia. Eles confiam muito no potencial exponencial do projeto e também disponibilizaram esta segunda rodada de capital para a startup”, ressaltou.

Sobre o período de MVP, que aconteceu ao mesmo tempo em que todas as empresas aprendiam a lidar com a pandemia, Marcus contou a principal lição aprendida. “O nosso produto tem que ser o melhor do mundo e para isto precisamos de um time competente e engajado com o propósito da empresa”. Ainda nessa linha de raciocínio, ele afirmou que manter a cultura da empresa a distância e manter todo mundo conectado foi o maior desafio. “Chegamos ao final deste processo muito bem-sucedidos, com um time ágil, colaborativo, engajado. Iniciamos 2021 focados na execução do nosso Planejamento Estratégico, com foco principal em Go2Market, e avanço do nosso produto. 2020 foi a preparação do lançamento deste foguete chamado Circular Brain”, acrescentou. 

Marcus Oliveira, da Circular Brain

Prevent Waste Alliance

A Prevent Waste Alliance é uma iniciativa da Agência de Cooperação Internacional do Ministério de Desenvolvimento da Alemanha (GIZ – Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit) criada em 2019. O objetivo do projeto, que une organizações do setor privado, academia, sociedade civil e instituições públicas em todo o mundo, é criar soluções para diminuir o impacto da poluição em nível global. 

Recentemente, a Circular Brain é a única empresa brasileira participante no Grupo de Trabalho “Closing the E-Waste Cycles”. “Fomos selecionados para atuar como mecanismo de validação e geração de créditos de reciclagem, através da nossa tecnologia de rastreabilidade, em um projeto-piloto de processamento de plásticos originados dos resíduos de equipamentos eletrônicos operado por recicladores dentro do nosso ecossistema e com o apoio de uma das maiores gestoras destes resíduos de toda a Europa”, revelou o empreendedor. 

Próximos passos

Segundo o empreendedor, “o tema ambiental ganhou uma importância ainda maior neste ano de 2020, o alinhamento da estratégia com o conceito ESG se tornou mandatório para as empresas que queiram acessar recursos tanto nacionais, quanto internacionais, pois ficou evidente quão negativo tem sido a nossa influência sobre o meio ambiente e o impacto negativo que isto tem causado em nossa sociedade. Aliado a isto o uso da tecnologia se tornou ainda mais necessário para podermos avançar nesta agenda de proteção ambiental. 

Diante disso, Marcus ressaltou o trabalho da Circular Brain, através da tecnologia, para diminuir o impacto ambiental negativo causado pelo aumento do consumo de produtos eletrônicos tanto pela prevenção da poluição, quanto pela reinserção de recursos naturais na cadeia produtiva, diminuindo assim a necessidade de extração de recursos da natureza. “Sustentabilidade não é apenas um tema, mas sim o nosso Core Business”, destacou. 

Atualmente, a cleantech está em fase de captação de uma rodada seed e tem avançado em conversas com fundos internacionais especializados em impacto e economia circular. Ele também revelou a previsão de faturamento para 2021: R$ 2 milhões. “Nosso produto vem sendo admirado tanto por clientes, quanto por importantes stakeholders internacionais, desde universidades e institutos de pesquisa, assim como grandes empresas do setor”.

Falando sobre internacionalização, ele disse que o foco inicial está no Brasil, por já conhecer o dia a dia, os desafios e todo o setor, mas que a solução criada pela startup atende muito bem todos os países em desenvolvimento. “Um dos princípios de cultura da Circular Brain diz o seguinte “Nosso cliente é o Mundo”, porque nós cuidamos do Planeta e por isso já nascemos globais”, afirmou. Em seguida, completou: “Já temos sido procurados por empresas em países como Equador, México, Colômbia, Índia, etc. Porém, tudo no seu tempo”, concluiu.


Quer acompanhar de perto todos os investimentos no ecossistema de startups? Siga as redes sociais Startupi e acesse nosso ranking de investimentos do mês.

Jornalista do Startupi, formada pela FAPCOM - Faculdade Paulus de Tecnologia e Comunicação em 2015.

Matérias Relacionadas

No comments yet. You should be kind and add one!

Our apologies, you must be logged in to post a comment.